Aulas arrancam com o calendário sindical a sobrepor-se ao escolar

Governo vai avançar com a devolução de dois anos, nove meses e 18 dias dos mais de nove anos de tempo de serviço congelados.
12.09.18
  • partilhe
  • 0
  • +
O ano letivo arranca esta quarta-feira oficialmente, mas a maioria das escolas vai esperar por segunda-feira para iniciar as aulas, o primeiro dia de um calendário escolar que poderá este ano ficar ofuscado pelo calendário da contestação sindical.

Depois de um ano letivo marcado pelas negociações entre sindicatos de professores e Governo em relação à contabilização do tempo de serviço congelado para efeitos de progressão, as estruturas sindicais prometem não só não deixar cair o tema, mas intensificar a luta por essa reivindicação, apesar de o executivo ter tentado dar o assunto por encerrado.

Isto, porque na passada sexta-feira, no final de reunião de negociação no Ministério da Educação, o ministro da tutela, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou que o Governo avança unilateralmente, sem acordo dos sindicatos, com a devolução de apenas dois anos, nove meses e 18 dias dos mais de nove anos de tempo de serviço congelados, a partir de 01 de janeiro de 2019, algo que os sindicatos já garantiram que não vão aceitar.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!