Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Baixa de Lisboa perde esplanadas

Falta de lugares para residentes justifica decisão.
João Saramago 31 de Outubro de 2016 às 08:25
Falta de lugares para residentes justifica decisão.
A escassez de estacionamento para residentes levou a Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, a retirar esplanadas colocadas em lugares previstos para carros. Os comerciantes visados contestam a medida.

"Derrubaram sem qualquer aviso. E não desmontaram, simplesmente destruíram", acusa ao CM Tiago Paula, gerente do Trigo Latino, cuja esplanada custou 38 mil euros: "Agora está tudo perdido". Com a destruição do espaço, acrescentou, viu-se obrigado a reduzir o número de funcionários: "O negócio agora é menor. Passei de oito para quatro."

O gerente explicou que, desde 2013, pagava à câmara uma taxa anual de 850 euros. Em 2015 foi recusado o pagamento. Fonte da junta de freguesia esclareceu ao CM que o proprietário efetuou dois pedidos de autorização, mas que estes não possuíam elementos suficientes para avaliação, tendo sido recusados.

Esta situação não é caso isolado. A mesma fonte revela que "é na carência de estacionamento para residentes que reside a linha de orientação conducente à não autorização de instalação de esplanadas em lugares de estacionamento".
Junta de Freguesia de Santa Maria Maior Lisboa Tiago Paula Trigo Latino esplanadas estacionamento
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)