Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Bial diz que novo relatório não é conclusivo

Empresa reage a acusação do governo francês.
Cátia Carmo 23 de Maio de 2016 às 13:22
António Portela, administrador da empresa Bial
António Portela, administrador da empresa Bial FOTO: Amândia Queirós / Correio da Manhã
Em reação à acusação do governo francês, que responsabilizou esta segunda-feira a portuguesa Bial pela morte de um voluntário num ensaio clínico, o laboratório nacional afirma que o relatório final da Inspection Générale des Affaires Sociales (IGAS) é inconclusivo.

"Lamentavelmente, este é mais um relatório que não permite determinar qualquer conclusão quanto à causa concreta do acidente, nem da morte de um dos voluntários que participou no ensaio clínico", pode ler-se no comunicado da Bial.

Além de descredibilizar o relatório, a empresa portuguesa acrescenta que ainda não teve acesso a todos os dados médicos dos voluntários, nem à autópsia. "Elementos essenciais para a prossecução de uma investigação completa em torno do sucedido", é sublinhado.

A 17 de janeiro, Guillaume Molinet, de 49 anos, morreu durante um ensaio clínico realizado em Rennes pela empresa especializada Biotrial, enquanto testava uma molécula que atuava sobre o sistema nervoso para o laboratório português Bial.

Outros cinco voluntários tiveram também de ser hospitalizados e alguns deles apresentam ainda sequelas neurológicas decorrentes dos testes com aquela substância, testes esses que tinham sido validados pela Agência Nacional de Segurança do Medicamento (ANSM).
Bial França Inspection Générale des Affaires Sociales IGAS
Ver comentários