Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Buracos sem fim à vista na EN125 entre Olhão e Vila Real de Santo António

Início esteve previsto para 2017, mas requalificação não avançou.
Rafael Domingues 28 de Julho de 2021 às 08:40
Movimento de utentes deste troço de estrada já realizou diversos protestos a exigir a requalificação urgente
Movimento de utentes deste troço de estrada já realizou diversos protestos a exigir a requalificação urgente FOTO: Luís Forra / Lusa
Há quatro anos que as obras de requalificação da EN125, entre Olhão e Vila Real de Santo António, aguardam pelo início, depois do Governo ter anunciado, no início de 2017, que as mesmas iriam arrancar no terceiro trimestre desse ano. No entanto, até hoje, apenas foram tapados alguns buracos, em alguns locais, estando a requalificação desta via ainda por realizar.

Para António Fernandes, do Movimento de Cidadania dos Utentes da EN125-Sotavento, "com o impacto das chuvas que foram fortes este ano, os buracos acentuaram-se no pavimento, aumentando a sinistralidade rodoviária". Para este utente da estrada, é imperativo "que o Governo assuma o resgate da concessão da via o mais rápido possível" de forma a diminuir os acidentes.

A demora com a requalificação desta via estruturante para a região do Algarve preocupa também o autarca de Castro Marim, Francisco Amaral, que se queixa de "abandono total" por parte do Estado, adiantando que "todos os anos surgem promessas e depois aparecem desculpas e nada avança".

Já esta terça-feira, o Bloco de Esquerda exigiu ao Governo a "requalificação urgente e definitiva" deste troço da EN125, depois de ter apresentado um projeto de resolução que foi aprovado, na semana passada, na Assembleia da República.
Ver comentários