Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Cadela de ‘Padre em Cuecas’ abatida um dia após homem ter abandonado casa paroquial

'Feliz' estava cega e foi abatida pelo veterinário municipal.
José Durão 27 de Junho de 2019 às 01:30
A carregar o vídeo ...
'Feliz' estava cega e foi abatida pelo veterinário municipal.
Foi esta quarta-feira abatida a 'Feliz', a cadela que residia com Júlio Santos, o ‘Padre em Cuecas’, de 58 anos, na casa paroquial de Pedrógão Grande.

Segundo o veterinário municipal, a cadela, já de idade avançada, estava totalmente cega. "Ela andava a bater nas paredes. Temos de entender o que é melhor para o animal", disse Joaquim Gonçalves ao CM.

"Já tinha alguma idade, mas era um animal meigo e ativo", disse ao CM uma vizinha da casa paroquial, que preferiu não se identificar. "Brincava sempre com as crianças junto à vedação", acrescentou.

O animal foi abatido no dia seguinte ao padre ter abandonado a casa paroquial. Depois, a Feliz ficou esquecida dentro de um saco durante largas horas, no interior da propriedade, tal como o cobertor que lhe servia de cama na rua, onde dormia, e ainda a tigela que usava para comer.

Por decisão própria, Júlio Santos abandonou a residência paroquial dias depois de a Diocese de Coimbra o ter afastado por tempo indeterminado, após a publicação da sua fotografia nas redes sociais, vestido apenas de meias e cuecas.

Na terça-feira, dois homens ajudaram-no a retirar os últimos pertences da habitação. D. Virgílio Antunes, bispo da Diocese de Coimbra, classificou a fotografia publicada como "indecorosa e naturalmente causadora de escândalo".

"Não há condições para o padre Júlio continuar a exercer, por agora, o ministério e as responsabilidades de pároco sem aumentar e multiplicar o escândalo entre os fiéis", frisou o bispo.
Padre em Cuecas Feliz Júlio Santos Grande questões sociais religião Coimbra sacerdote
Ver comentários