Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Câmara do Funchal sugere comemorações do 10 de Junho na cidade em 2021

Marcelo Rebelo de Sousa cancelou as comemorações na região.
Lusa 26 de Março de 2020 às 13:48
Câmara do Funchal
Câmara do Funchal FOTO: Direitos Reservados
O presidente da Câmara do Funchal manifestou esta quinta-feira a sua "total compreensão" pela decisão do Presidente da República de cancelar as comemorações do 10 de Junho na região, propondo que a cidade seja palco do programa no próximo ano.

O Presidente da República cancelou as comemorações do 10 de Junho deste ano, que se iriam realizar na Madeira e na África do Sul, devido à pandemia da covid-19, confirmou à Lusa fonte de Belém.

Marcelo Rebelo de Sousa comunicou esta decisão por carta ao presidente da Assembleia da República, ao primeiro-ministro e às autoridades da Madeira, adiantou a mesma fonte.

"Considerando as circunstâncias atuais de pandemia covid-19, cujos efeitos se vão ainda estender por largas semanas, vejo-me constrangido a decidir a anulação das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas que estavam previstas no mês de junho para o Funchal e junto das comunidades portuguesas na África do Sul", lê-se numa carta a que a agência Lusa teve acesso.

"Lamento naturalmente tal decisão, mas a situação atual a isso exige", acrescenta o chefe de Estado, na mesma carta

Na missiva enviada a Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente da Câmara do Funchal, Miguel Silva Gouveia, escreve que, "dadas as circunstâncias, é com total compreensão e solidariedade que recebemos a decisão do Sr. Presidente da República".

O autarca acrescenta a "determinação da Câmara Municipal do Funchal em fazer tudo o que estiver ao seu alcance no sentido de salvaguardar a saúde pública, manter em funcionamento os serviços essenciais e promover o bem-estar económico e social da população".

Miguel Silva Gouveia expressa ainda a "total disponibilidade do município do Funchal para, logo que existam condições", se comemorar naquela "nobre e leal cidade, o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, celebrando simultaneamente a vitória coletiva sobre a epidemia".

"Será uma honra e propomos que assim seja no próximo ano", conclui.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira (+18,3%).

Dos infetados, 191 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

No arquipélago da Madeira, o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE) atualizou na quarta-feira para 20 o número de infetados, mais quatro do que na terça-feira.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)