Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Cancro do pulmão mata 11 por dia

Morrem, em média, 11 portugueses por dia vítimas de cancro do pulmão. Em Portugal são diagnosticados 3800 novos doentes por ano e apenas 15% dos pacientes sobrevivem ao fim de cinco anos, segundo o relatório de 2012 do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias, a que o CM teve acesso.

15 de Outubro de 2012 às 01:00
SAÚDE, CANCRO, PULMÃO, TABACO, DOENÇA
SAÚDE, CANCRO, PULMÃO, TABACO, DOENÇA FOTO: Pedro Catarino

Em 2010 (os últimos dados conhe-cidos), morreram 4046 pessoas por cancro do pulmão, o que coloca o tumor no topo das mortes por causa oncológica. "O cancro do pulmão é o que mais mata em Portugal e a mortalidade tem vindo a crescer. Cerca de 80% dos casos são atribuídos ao tabaco", afirmou ao CM o presidente da Fundação Portuguesa do Pulmão, Teles de Araújo.

Portugal é o segundo país europeu onde se gasta menos no tratamento de cancro, segundo um estudo da Universidade de Oxford e do King's College. A investigação revela que os gastos por doente em Portugal são metade da média europeia: os custos com cuidados de saúde e medicamentos implicam 8459 euros por doente/ano. A média europeia supera os 19 mil euros e a Alemanha é o país onde mais se gasta por doente: 28 mil euros.

Ao CM, o director da Administração Central do Sistema de Saúde, Alexandre Lourenço, referiu que "um doente de cancro, em fase inicial, custa, em média, 14 mil euros por ano ao Estado". Este valor ascenderá consoante o avanço da doença.

Nos países ocidentais, entre 10 a 15% das mortes por cancro do pulmão são de não-fumadores. Portugal não tem dados sobre esta matéria, mas especialistas indicam um cenário semelhante para o País. Ao longo desta década o cancro do pulmão, que é o tumor que mais mata homens portugueses, será também a principal causa de morte oncológica nas mulheres. "As mulheres morrem mais devido ao cancro da mama, que também é mais fácil de detectar. Contudo, dado que têm um atraso relativamente ao início do hábito de fumar, esta será uma tendência crescente", explicou Teles de Araújo.


77% MORREM DEVIDO AO TABACO

A mortalidade por cancro do pulmão por ano é, a nível mundial, de 52 por 100 000 habitantes, sendo a percentagem atribuível ao tabaco de 77 por cento. Em 2010, o cancro do pulmão foi a primeira causa de morte oncológica em Portugal. O segundo tumor mais mortífero foi o do cólon (2650 óbitos), seguindo-se os cancros da próstata (1786), mama (1680) e pâncreas (1250).

DISCURSO DIRECTO

"APARECE MAIS CEDO", Teles de Araújo, Pres. Fundação Port. Pulmão

Correio da Manhã - O cancro do pulmão está a afectar pessoas mais novas?

Teles de Araújo - Sim, cada vez aparece mais cedo, pois a idade de iniciação ao tabaco também é mais precoce. O cancro só aparece dezenas de anos depois. Estamos a pagar a factura.

- Qual é a tendência futura?

- É uma tendência crescente.

- A população não está sensibilizada para os rastreios?

- Não têm havido métodos eficazes no rastreio do cancro do pulmão. Julgo que haverá alguns com eficácia em breve.

SAÚDE CANCRO PULMÃO TABACO DOENÇA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)