Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Castelo de Noudar fechado por perigo de derrocada

A Câmara de Barrancos decidiu encerrar temporariamente o Castelo de Noudar, numa herdade no concelho alentejano de Barrancos, ao público a partir de segunda-feira, devido ao perigo de derrocada de partes do monumento.
17 de Agosto de 2012 às 13:18
O Castelo de Noudar é Monumento Nacional desde 1910 e é propriedade do município de Barrancos
O Castelo de Noudar é Monumento Nacional desde 1910 e é propriedade do município de Barrancos FOTO: D.R.

"Tomámos esta decisão depois de muito amadurecer o assunto, tendo em conta que as condições do castelo não são as melhores, neste momento", explicou António Tereno, presidente do município de Barrancos.

Monumento Nacional desde 1910, o castelo, a alguns quilómetros da vila raiana de Barrancos, é propriedade do município e "o ex-libris do concelho", disse o autarca.

Contudo, existem riscos para a segurança devido à degradação, apesar de a câmara municipal ter recuperado a torre sudoeste, "há dois ou três anos", num investimento de cerca de 150 mil euros, co-financiado por apoios comunitários.

Por isso, "para evitar males maiores", vai ficar encerrado ao público a partir da próxima segunda-feira porque, "neste momento, não temos condições para assegurar a segurança das pessoas no castelo", frisou António Tereno.

Segundo o autarca, o monumento "sofre de várias patologias" e alguns dos seus espaços estão "em perigo de derrocada".

"Uma zona do pano de muralha está em risco de desabar e, na própria entrada principal, a torre por cima está, ela própria, com várias patologias' e pode desabar a qualquer momento", alertou.


Lamentando a decisão, que "não é agradável", mas "é imprescindível", António Tereno salientou que o fecho do espaço é "temporário" e que este período vai ser aproveitado para analisar quais as hipóteses para a sua recuperação.

"Vamos estudar as soluções possíveis, em conjunto com outras entidades que nos podem ajudar, neste caso com a Direcção-Geral do Património e, possivelmente, recorrendo também ao Turismo de Portugal", frisou.

O presidente do município destacou que, para evitar a continuada degradação do monumento, "são precisos fundos", eventualmente "alguns milhões" de euros, mas a Lei dos Compromissos é um obstáculo à autarquia.

Neste momento, "através da famigerada Lei dos Compromissos, nós estamos completamente atados, ao nível dos municípios", criticou, garantindo que a autarquia vai "tentar inventar soluções para o Castelo de Noudar".

"Estou como a minha colega de Salvaterra de Magos, que dizia que a ponte caiu e não tinha dinheiro, porque ainda era presa ou tinha que repor ela o dinheiro. Se calhar, eu estou na mesma situação, mas é evidente que não vamos desistir e deixar aquilo ao abandono", ironizou.

O Castelo de Noudar, que assumiu grande importância na defesa da fronteira com Espanha, data do século XIV, mas desde o ano 3.200 antes de Cristo (a.C.) e até ao século XIX o "sítio de Noudar" teve sempre ocupação.

António Tereno castelo Noudar Barrancos encerramento monumento Alentejo turismo Lei dos Compromissos câmara
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)