Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Centro de Saúde abre sem condições

Vários utentes da Unidade de Saúde Familiar (USF) Cidadela, do Centro de Saúde de Cascais, manifestaram-se ontem desagradados com a transferência da unidade para as instalações do antigo hospital Condes de Castro Guimarães.
26 de Outubro de 2010 às 00:30
Utentes reclamam da falta de condições no edifício do antigo hospital que agora acolhe o centro de saúde
Utentes reclamam da falta de condições no edifício do antigo hospital que agora acolhe o centro de saúde FOTO: Manuel João Salvado

A mudança fez-se sem que estejam reunidas todas as condições para o normal funcionamento: não há sistema informático nem telefones e a electricidade não está ligada. A direcção clínica contrapõe com o processo de mudança, iniciada no sábado, e assegura que não foram adiadas consultas.

Maria de Jesus Rodrigues, 75 anos, lastima-se com dores. Sentada numa cadeira do corredor, é puxada por um braço pelo marido, Manuel Rodrigues, 68 anos, para se levantar e agarrar no andarilho. Grita com dores e mal consegue arrastar os pés. Não se vê cadeiras de rodas para os utentes. Administrativas e segurança fingem não reparar no desespero da mulher. O marido não cala a revolta: "É uma vergonha. Mandaram-nos vir hoje à consulta e nada funciona. Agora dizem-nos para irmos ao hospital." O chorrilho de críticas não pára.

Domingas Cartaxo, 65 anos, esperava conseguir uma consulta do médico de família para a mãe, de 94 anos, que precisa de medicamentos. "Não marcaram consulta porque não têm os computadores a funcionar e não fazem marcações."

Manuela Soares, outra utente, não compreende como é que houve transferência do antigo edifício "sem que os sistemas estivessem operacionais. A água só foi ligada agora. O resto nada funciona".

A directora do centro de saúde, Helena Costa, afirma ao Correio da Manhã que "problemas técnicos, a cargo da Administração Regional de Saúde de Lisboa, levaram a que não estivessem ainda ligados os sistemas informáticos e as comunicações" A responsável garante porém que os serviços funcionam.

Já Sónia Leal, coordenadora da Unidade de Saúde Familiar, assegura que "não foram anuladas consultas".

Centro de Saúde Cascais
Ver comentários