Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Centro de Saúde da Quinta do Conde abre dia 23

O secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde, Leal da Costa, anunciou esta terça-feira que o Centro de Saúde da Quinta do Conde, em Sesimbra, está em condições para abrir no dia 23 deste mês.
3 de Julho de 2012 às 18:28
A Comissão de Utentes de Saúde da Quinta do Conde, cantou uma série de músicas ao Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, apelando à abertura do Centro de Saúde local
A Comissão de Utentes de Saúde da Quinta do Conde, cantou uma série de músicas ao Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, apelando à abertura do Centro de Saúde local FOTO: LUSA / Tiago Petinga

Fernando Leal da Costa falava aos cerca de 40 utentes daquela unidade de saúde, que se concentraram esta terça-feira em frente ao ministério da Saúde para apelar à abertura do novo Centro de Saúde da Quinta do Conde, que, apesar de estar concluído há cerca de três meses, ainda não abriu por problemas no abastecimento de electricidade.

"Temos a garantia da companhia de electricidade [EDP] de que nesse dia estará em condições de nos garantir a abertura do centro. Tão cedo quanto seja possível, quando tivermos electricidade, o centro começará a funcionar", assegurou o secretário de Estado aos utentes.

O anúncio do governante foi dado depois de os utentes lhe terem cantado canções populares, que estão a ser ensaiadas por uma associação de terceira idade local para a cerimónia de inauguração da unidade desde que as obras acabaram, e lhe terem entregado uma carta em que sublinham a necessidade de abertura do centro.

"Não nos peçam desculpas, abram o centro de saúde" ou "tenham mais cuidado com os idosos" foram alguns dos apelos deixados pelos utentes, maioritariamente idosos, que se deslocaram à Avenida João Crisóstomo, em Lisboa.

Uma idosa chegou mesmo a declarar a intenção de oferecer um "peru pelo Natal" ao secretário de Estado caso o centro seja aberto já, com Fernando Leal da Costa a admitir que "é bem-vindo", mas que "não é condição 'sine qua non'". Entre risos, afirmou: "Nós vamos lá mesmo sem peru".



O governante já tinha concordado com a necessidade de abrir o espaço, admitindo que para o "ministério da Saúde também é particularmente difícil e complicado entender que se tenha uma estrutura pronta a abrir, que já está preparada para abrir - do ponto de vista do edifício - há uns meses, depois de um processo que já correu vários governos, e com as vicissitudes que se conhecem, e não esteja a trabalhar".

Para o presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde, Vítor Antunes (CDU), esta é "mais uma promessa" que os utentes "esperam que se concretize" na data prevista.

"O ministério tem três semanas para provar que desta vez falou verdade. Esperamos que no dia 23 a unidade de saúde abra. Já passou tempo de mais, e ao fim de 20 anos serem necessários mais de quatro meses e meio para ligar a electricidade é muito tempo", afirmou Vítor Nunes.

Para o autarca comunista é "tempo de dizer basta" às condições onde actualmente são prestados os cuidados de saúde primários aos 30.000 habitantes da Quinta do Conde: "Haja consciência. A prestação de cuidados está a ser feita num pré-fabricado com mais de 30 anos, onde pelo ar circulam partículas de corticite, no inverno chove e onde as temperaturas são insuportáveis", criticou.

Se no dia 23 a unidade não for aberta, os utentes deixaram um aviso ao secretário de Estado: "Estaremos aqui para dar conta da nossa existência. Exigiremos dignidade e respeito", disse Vítor Nunes.

Saúde centro Quinta do Conde electricidade Leal da Costa
Ver comentários