Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Chuva ameaça foliões carnavalescos

Meteorologia põe festa em risco. Terça à tarde poderá haver uma aberta.
1 de Março de 2014 às 19:07
Em Loulé não vai faltar a crítica social, nem a boa disposição no corso deste ano
Em Loulé não vai faltar a crítica social, nem a boa disposição no corso deste ano FOTO: Pedro Noel da Luz

Os corsos estão preparados para sair à rua, mas a chuva é uma séria ameaça à festa, que este ano soma um investimento de perto de três milhões de euros nos 15 maiores carnavais do País.

Segundo as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a chuva irá estar presente até à terça-feira gorda. Para amanhã, só no Algarve, embora cinzento, o tempo poderá estar um pouco melhor. Segunda feira haverá uma ligeira melhoria, mas as previsões indicam chuva fraca no Norte e Centro, diminuindo a nebulosidade a partir do meio da tarde.

O Carnaval terá agora de fintar a chuva, depois de ter escapado da crise dos últimos três anos. No conjunto dos maiores corsos houve uma subida do orçamento na ordem dos 26% em relação a 2013, atingindo um custo de 2,8 milhões de euros.

Ovar segura o título de Carnaval mais caro, com um custo de meio milhão de euros. Torres Vedras mantém a segunda posição, tendo este ano reforçado os gastos em 120 mil euros, perfazendo um total de 470 mil.

Para as fantasias brilharem mais alto, Estarreja investiu 400 mil euros, depois de em 2013 ter ficado pelos 136 mil euros.

No Funchal, o reforço da verba foi de 30 mil euros, tendo sido gastos 300 mil euros para montar o corso deste ano. Em Loulé, 2014 foi mais um ano de cortes, com o investimento a baixar de 200 mil para 180 mil euros. Sines, pelo contrário, subiu de 110 para 162 mil euros. Mealhada e Elvas investiram 140 mil euros e Loures aumenta os gastos de 70 para 120 mil euros.

Carnaval folia milhões cortejos Meteorologia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)