Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

'Explosão de citocinas': a inimiga da luta contra o coronavírus. Há casos de imunizados que voltam a adoecer

Alguns pacientes são vítimas de pequenas proteínas do sistema imunitário que se voltam contra os próprios órgãos, nomeadamente os pulmões.
João Vaz 7 de Abril de 2020 às 08:26
Há casos em que os anticorpos existem, mas não em número suficiente para evitar nova infeção
Há casos em que os anticorpos existem, mas não em número suficiente para evitar nova infeção FOTO: EPA
A criação de imunidade humana contra a Covid-19 apresenta-se como uma batalha complicada. O problema não está apenas na impossibilidade de criar uma imunidade coletiva, como admitiram as autoridades do Reino Unido, porque custaria muitas mortes, mas também porque nos casos dos doentes graves se verifica uma traição do sistema imunitário: o virologista Didier Hober avalia que 15% daqueles doentes são vítimas de "tempestades de citocinas", pequenas proteínas do sistema imunitário que se voltam contra os próprios órgãos, nomeadamente os pulmões.

A traição das citocinas não é novidade. Já ocorreu na resposta a outros vírus, nomeadamente o VIH da sida e o VHC da hepatite C, com imunizados a voltarem a adoecer com o mesmo vírus. Há também casos em que os anticorpos existem, mas não o suficiente para evitar nova infeção.

Sobre o papel do sistema imunitário, visto como grande resposta à atual pandemia Covid-19, o infeciologista francês Gilles Pialoux diz que está como uma borracha para o papel: "Ela apaga os erros, mas quando se atua com muita força estraga o papel." Dúvidas existem também na duração da imunidade: foi de vários anos na SARS de 2003, mas só 18 meses no coronavírus da MERS.

Avanços da investigação
Cães farejam
Investigadores da Universidade de Duhram e do Hospital Universitário Milton Keynes, no Reino Unido, estão a treinar cães para detetar vírus da Covid-19, mesmo em assintomáticos. Há bons resultados noutros casos.

Máscara obrigatória
Além dos países onde o uso de máscara é habitual, como Coreia do Sul, Japão e China, e onde se registou reforço da prática, há leis a impô-lo noutros Estados. É o casso da Eslováquia, Eslovénia, República Checa, Áustria e Bulgária.

Poupar material
A administradora-chefe da Saúde Pública do Canadá, Theresa Tam, pediu aos hospitais do país para não deitar fora máscaras e equipamentos de proteção médica já usados porque se estuda um método para os desinfetar e reutilizar.

Caso de dengue
O professor Didier Hober, do Hospital Universitário de Lille, em França, observou em formas graves de dengue anticorpos com propriedades surpreendentes capazes de ajudar os vírus a infetar as células do próprio organismo.
Citocinas Covid-19 Reino Unido Didier Hober saúde doenças política
Ver comentários