Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Com dúvidas sobre a vacinação contra a gripe? Cinco perguntas e respostas que esclarecem processo

Foram ainda administradas 123 mil vacinas de reforço contra a Covid-19. 85,7% têm o esquema vacinal primordial completo.
Correio da Manhã 24 de Outubro de 2021 às 10:25
Vacina da gripe
Vacina da gripe FOTO: CMTV
A segunda fase da campanha de vacinação contra a gripe iniciou-se na passada segunda-feira, dia 18 de outubro, em cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos e que não estejam abrangidos nos grupos-alvo da primeira fase.

A partir do início de novembro prevê-se que o número de vacinas disponíveis seja suficiente para acelerar o ritmo da vacinação, avança o comunicado da DGS. 

Portugal já administrou 279 mil vacinas contra a gripe e 123 mil vacinas de reforço contra a Covid-19. 85,7% têm o esquema vacinal primordial completo.

Conheça aqui algumas perguntas e respostas da campanha de vacinação a decorrer. 

Como decorre a campanha a nível de idades?
A campanha está a decorrer por ordem decrescente de idades, à semelhança do passado, começando pelos utentes com idade igual ou superior a 80 anos.

Como serão feitas as marcações?
Os utentes vão ser convocados através de uma SMS para a toma em simultâneo da vacina contra a gripe e contra a Covid-19 ou apenas para a vacina contra a gripe (se não forem elegíveis para dose de reforço da Covid-19).

Como se procederá o agendamento?
O agendamento será automático. Poderá haver casos, porém, em que sejam chamados doentes abaixo da faixa que se encontra aberta por já cumprirem todos os critérios de elegibilidade e para não atrasar o processo.

Auto-agendamento será possível?
O auto-agendamento das vacinas contra a gripe e reforço da vacina contra Covid-19 será possível no Portal Covid-19 acima dos 80 anos, a partir de 26 de outubro.

Há vacinas suficientes?
O ritmo de vacinação da gripe está dependente da entrega das vacinas no território nacional e sujeita a ajustes de acordo com a disponibilidade de vacinas.

A covid-19 provocou pelo menos 4.926.579 mortes em todo o mundo, entre mais de 242,39 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, divulgado na sexta-feira.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.129 pessoas e foram contabilizados 1.084.534 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Portal Covid-19 saúde medicina preventiva doenças
Ver comentários