Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com "arrotos"

Não têm lábios nem faringe ou laringe e o seu nariz é completamente diferente do nosso. No entanto, conseguem comunicar.
5 de Março de 2019 às 10:50
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'
Como conseguem papagaios falar como os humanos? Com 'arrotos'

As aves não são nada como os humanos. Não têm lábios nem faringe ou laringe e o seu nariz é completamente diferente do nosso. No entanto, conseguem falar como humanos – ao contrário de primatas como macacos ou chimpanzés. Mas como?

Humanos produzem sons através da laringe, que são depois moldados através da boca, língua ou dentes para formar diferentes palavras. No caso das aves, a resposta está na siringe, um órgão localizado entre a parte final da traqueia e o início dos brônquios que serve de caixa de voz.

"Elas têm duas caixas de voz independentes", afirma à Vox Mya Thompson, investigadora principal do Laboratório de Ornitologia da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos da América.  É através da vibração das paredes dos brônquios na siringe que as aves conseguem cantar e, em alguns casos, até reproduzir palavras humanas. Mas, em vez de deixarem passar o ar pelas caixas de voz como os humanos fazem, as aves produzem e moldam os sons que fazem através dos músculos na siringe.

Aves como o cardeal-do-norte produzem sons diretamente através do peito, com o canto a vir diretamente da siringe. "São capazes de produzir mais notas que um piano em menos de um décimo de segundo. Enquanto o fazem estão a trocar simultaneamente o lado da siringe por onde produzem o som", explica Mya Thompson à Vox.

O caso mais especial é o de papagaios. "Assim que nascem, começam imediatamente a aprender", refere a ornitóloga. Para compensar a falta de lábios na formação de palavras, papagaios utilizam o discurso esofágico, que se caracteriza com algo parecido ao arroto em humanos. A ave encurrala o ar e depois expele-o de maneira impulsiva e move a sua língua para a frente e para trás e o seu bico para alterar o som.

"Elas são mesmo a única ave conhecida que usam a língua como humanos fazem para falar. Os papagaios estabelecem uma ligação social com as pessoas, querem comunicar com elas e têm as ferramentas anatómicas para o fazer", garante Mya Thompson.

Ver comentários