Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Cor verde do rio Tâmega preocupa Amarante e Marco de Canaveses

Cianobactérias estão de volta, mas não têm impacto no consumo em casa.
José Eduardo Cação 29 de Agosto de 2018 às 08:46
Tâmega
Tâmega FOTO: CMTV
A presença de cianobactérias, também conhecidas por algas-azuis, no rio Tâmega, tem causado alarme em Amarante e Marco de Canaveses. Em causa, está o troço entre a barragem do Torrão (Marco de Canaveses) e a cidade amarantina, cuja água volta a ser dominada pelo verde. As duas autarquias garantem estar a acompanhar a situação.

"As últimas análises que têm sido feitas, inclusive já em agosto, concluíram que a água nos vários pontos em que as pessoas vão a banhos é de qualidade boa ou ótima", garantiu Lucinda Fonseca, vice da câmara de Amarante, responsável pelo Ambiente. "Já estivemos em contacto com as entidades competentes e pedimos uma análise extra para apurar se há razão para alarme ou não", diz.

A Câmara do Marco revela que tem informado de forma incessante as autoridades, com fotos atualizadas, a fim de "debelar o gravíssimo problema criado no meio dulçaquícola e para a saúde pública", mas a edil Cristina Vieira recorda que a ETAR está dotada de tecnologia de topo, pelo que os habitantes podem "estar tranquilos em relação à qualidade da água que lhes chega a casa".

PORMENORES
Câmara do Marco reagiu
A autarquia de Marco de Canaveses esclarece que colocou "placas de desaconselhamento a banhos" no parque fluvial do Tâmega, local de prática de desportos aquáticos, e pede "uma atuação consciente e uma intervenção consequente" das entidades responsáveis.

Águas paradas na origem
Águas paradas ou de fraca corrente, aumento da luminosidade, calor e excesso de nutrientes e descargas industriais ou provenientes da agricultura são fatores que originam a formação deste tipo de bactéria.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)