Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Coração mata 40 mil por ano

Cerca de 40 mil portugueses morrem anualmente vítimas de doença cardiovascular, vinte mil dos quais por acidente vascular cerebral (AVC) e dez mil por enfarte do miocárdio. Estima-se que os problemas do coração afectem mais de 500 mil pessoas no País. Números preocupantes que fazem das doenças cardiovasculares a principal causa de morte em Portugal.
8 de Maio de 2011 às 00:30
n Praticar exercício com alguma  regularidade e ter uma alimentação saudável , rica em hortaliças, fruta, pão e cereais, peixe e carnes brancas,  mantêm o coração saudável
n Praticar exercício com alguma regularidade e ter uma alimentação saudável , rica em hortaliças, fruta, pão e cereais, peixe e carnes brancas, mantêm o coração saudável

"A tendência dos últimos anos mostra uma ligeira redução dos acidentes vasculares cerebrais e um ligeiro aumento do número de enfartes do miocárdio fatais" esclareceu o cardiologista Manuel Carrageta, reconhecendo que o controlo dos factores de risco tem melhorado pouco nos últimos anos.

A idade e o historial clínico aumentam o risco de doença cardiovascular. Há, no entanto, comportamentos que podem ser alterados. A vida sedentária, consumo de tabaco e bebidas alcoólicas, a ingestão de alimentos ricos em gordura são hábitos que devem ser evitados. A obesidade, a hipertensão arterial, a diabetes, o stress e o colesterol, consequência de uma vida pouco saudável, aumentam o risco de doença cardíaca.

Deixar de fumar, praticar exercício físico com regularidade e uma alimentação saudável dão saúde ao coração. "A prevenção e o controlo dos factores de risco é um desafio de saúde pública que deve ser enfrentado com o maior vigor" descreve o especialista. Maio é o mês do coração que, quando saudável, é o nosso maior aliado.

MAIS DESPORTO NAS ESCOLAS

O sedentarismo constitui o factor de risco cardiovascular mais prevalente no nosso país. Segundo um estudo da União Europeia, Portugal tem um dos piores índices de actividade física. Os especialistas denunciam a falta de instalações adequadas à prática de exercício e dizem que o desporto tem de passar de uma actividade competitiva para uma prática em que toda a comunidade participe. Sugerem mais desporto escolar e espaços verdes com instalações de recreio.

EXAME AUXILIAR DE DIAGNÓSTICO

Para além do interrogatório, o médico procede à observação clínica com a palpação dos pulsos, recorrendo depois a exames auxiliares de diagnóstico, como a prova de esforço ou electrocardiograma.

MORTE SÚBITA MATA 20 POR DIA

Investigadores espanhóis das áreas da cardiologia e da genética clínica e molecular desenvolveram um método de diagnóstico precoce do risco de morte súbita, que mata por dia mais de 20 portugueses.

BOA ALIMENTAÇÃO FAZ BEM À SAÚDE

A dieta mediterrânica faz bem à saúde pois é rica em hortaliças, fruta, pão e cereais, peixe, carne de aves e azeite. Os especialistas dizem que é urgente estabelecer programas de educação alimentar.

CONTROLO DE RISCO EVITA A MORTE

Todos os anos, mais de 135 mil mortes provocadas por doença cardiovascular podiam ser evitadas na Europa através de melhor avaliação e controlo dos factores de risco. Segundo o estudo europeu Eurika, a tensão arterial e o colesterol elevado, a diabetes ou mesmo a obesidade e o tabagismo são importantes sinais de alerta. As doenças do coração são a principal causa de morte na Europa, sobretudo nas mulheres, matando mais do que todos os tipos de cancro juntos. 

CAUSAS DE MORTE

As patologias que mais mortes causaram no ano de 2009

Apar. circulatório 33 472

Tumores malignos 24 397

Cerebrovasculares 14 285

Apar. respiratório 12 202

Nutricionais e Metabólicas 5493

Pneumonia 5234

Apar. digestivo 4639

Diabetes 4614

Sistema nervoso 2897

Vias respiratórias 2859

Rim e uréter 2016

DISCURSO DIRECTO

MIGUEL CARRAGETA, CARDIOLOGISTA: "SÃO PRECISAS CAMPANHAS AGRESSIVAS"

Correio da Manhã – Como justifica estes valores?

Manuel Carrageta – As mensagens preventivas, apesar de baseadas em evidências científicas, não motivam a população. A falta de visibilidade dos factores de risco, que são silenciosos, explica porque são esquecidos pelos doentes e pelas famílias.

– O que pode ser feito?

– São necessárias campanhas mais agressivas, pois é imperioso aumentar os níveis de diagnóstico e controlo. Nas escolas deve--se dar relevo ao ensino de estilos de vida saudáveis, alertando para problemas como o colesterol elevado, obesidade, diabetes e hipertensão.

– Quem são os responsáveis?

– Os médicos de família são os profissionais de saúde melhor colocados para detectar os factores de risco, preconizar as medidas de estilo de vida adequadas e prescrever os fármacos necessários. Mas só com o contributo de toda a sociedade será possível vencer este grande desafio que é médico e social.

O MEU CASO - ANA MARIA LUCAS

"A MINHA NOVA VIDA É MAIS CALMA"

Ana Maria Lucas sofreu, a 3 de Fevereiro de 2009, um acidente vascular cerebral (AVC) que lhe afectou a fala e os movimentos da mão direita. A antiga miss Portugal estava no carro com os dois filhos – Miguel e Francisco, que a alertaram.

"Encolhi os ombros. Não quis acreditar e cinco minutos depois estava no hospital. Só me apercebi de que era verdade quando o enfermeiro me perguntou o nome e eu não consegui dizer. Depois desmaiei", lembra a comentadora de moda.

Foi um susto para amigos e familiares, que sempre estiveram optimistas na recuperação. Ana Maria Lucas lutou pela sua saúde, nunca se refugiou em casa e fez sempre questão de estar entre amigos e familiares. E foi com a ajuda dos filhos, da nora Sara e da neta Ana Mar que conseguiu recuperar. "Tive um AVC e ponto. Sou uma sortuda porque estou viva", assegurou.

A antiga miss sempre se considerou uma mulher saudável. Os níveis de colesterol e de tensão arterial eram normais. "Nunca estive doente", diz, apontando o stress como a principal causa do AVC.

As transformações físicas e psicológicas decorrentes do AVC fizeram-na encarar a vida de outra forma. "A minha nova vida é mais calma e menos triste porque, apesar de parecer estar sempre alegre, no fundo não o era" comentou.

Por fim, deixa o conselho: "Controlem a tensão alta e o colesterol, evitem o stress e desfrutem a vida" são os conselhos que deixa.

PERFIL: ANA MARIA LUCAS venceu o concurso Miss Portugal em 1969, o que a fez saltar para a ribalta aos 19 anos. Tem desde então trabalhado na área da moda e do entretenimento.

coração mortes cardiovasculares prevenção
Ver comentários