Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Correcção da prova de Português do 9º ano e 12º anos

O Correio da Manhã publica os critérios de correcção da prova 22, de acordo com as propostas do GAVE.
21 de Junho de 2011 às 00:30

CRITÉRIOS DE CORREÇÃO (PROVA 22- 9º ANO)

(DE ACORDO COM AS PROPOSTAS DOGAVE)


COTAÇÕES
GRUPO I
1. ............................................................................................................ 5 pontos
2.
2.1. ................................................................................................... 2 pontos
2.2. ................................................................................................... 2 pontos
2.3. ................................................................................................... 2 pontos
2.4. ................................................................................................... 2 pontos
3. ............................................................................................................ 2 pontos
4. ............................................................................................................ 4 pontos
5. ............................................................................................................ 5 pontos
6. ............................................................................................................ 5 pontos
7. ............................................................................................................ 5 pontos
8. ............................................................................................................ 6 pontos
9. ............................................................................................................ 10 pontos
50 pontos
GRUPO II
1. ............................................................................................................ 2 pontos
2. ............................................................................................................ 4 pontos
3. ............................................................................................................ 6 pontos
4.
4.1. ................................................................................................... 3 pontos
4.2. ................................................................................................... 3 pontos
5. ............................................................................................................ 2 pontos
20 pontos
GRUPO III
................................................................................................................ 30 pontos
30 pontos

1- Associa os seguintes elementos:
A-1
B-4
C-6
D-5
E-3

2-Assinala as seguintes alíneas
2.1-C
2.2-  B
2.3- D
2.4- B

3-  C

4-Identifica frei Manuel da Encarnação, aias e moços de câmara.

5-Indica que Luís de Camões se refere a Os Lusíadas e justifica, afirmando que é uma obra escrita em estrofes de oito versos, que tem como matéria os feitos dos portugueses e a viagem para a Índia.

6- Indica que Luís de Camões dirige ao conde de Vidigueira o seu pedido, uma vez que há uma relação de parentesco entre o conde e Vasco da Gama, personagem da obra para a qual Camões pede protecção.

7-Explica que o conde quer mostrar a Luís de Camões que este não pode ter a pretensão de lhe contar a história da sua própria família e refere que a intenção do conde é menosprezar Luís de Camões.

8-Argumenta que as falas do conde de Vidigueira indiciam que ele não vai conceder a protecção pedida, por um lado, por não considerar o assunto importante - «o negócio é de pouca monta» (linha 6) - e, por outro, por manifestar impaciência em falas como «Decerto não quereis contar-me a história da minha família.» (linha 22) ou «Abreviemos.»

9-Indica o episódio:
(a) «Despedidas em Belém»...
Identifica o narrador:
(b) Vasco da Gama.
Identifica os dois grupos de personagens:
(c) os marinheiros («gente marítima») e os soldados (gente «de Marte»).
Refere o momento da acção. Por exemplo:
(d) o momento da partida das naus.
Apresenta um elemento relativo ao espaço:
(e) «no porto da ínclita Ulisseia» / «(Onde o licor mistura e branca areia / Co salgado Neptuno o doce Tejo)».
Descreve o estado de espírito das personagens. Por exemplo:
(f) os marinheiros e os soldados estão animados e dispostos a seguir Vasco da Gama para onde quer que seja, não olhando a perigos.
Refere uma semelhança. Por exemplo:
(g) tanto «Despedidas em Belém» como «O Adamastor» são episódios da viagem para a Índia.


GRUPO II

1- Selecciona A

2- Pretérito perfeito do indicativo na voz passiva

3- Obtiveram
Trará
        Parassem
        Vier
4- 
 4.1-... dá-lo-ia
 4.2-... não a representou
5- D

GRUPO III

A composição é um texto subjectivo que será avaliado segundo determinados items que podem ser consultados nos critérios de correção

ASSOCIAÇÂO DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS

CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA PROVA 639- PORTUGUÊS 12º ANO


(DE ACORDO COM OS CRITÉRIOS PUBLICADOS PELO GAVE)


1- (15 pontos)

Nas quatro primeiras estrofes do poema, encontram-se representadas sensações visuais e auditivas, através dos elementos seguintes:
- «que já vi mas não vi» (v. 3) - sensação visual;
- «As crianças, que brincam às sacadas altas, / Vivem entre vasos de flores» (vv. 5-6) - sensação visual;
- «As vozes, que sobem do interior do doméstico, / Cantam sempre» (vv. 8-9) - sensação auditiva.
...
2- (20 pontos)
Na terceira estrofe do poema, o tempo da infância é caracterizado:
- por um ambiente de despreocupação feliz, sugerido pelo acto de brincar («As crianças, que brincam às
sacadas altas, / Vivem entre vasos de flores» - vv. 5-6);
- pela não consciência da passagem do tempo («Sem dúvida, eternamente.» - v. 7).
...

3-(15 pontos)
A relação que o sujeito poético estabelece com «os outros» nas seis primeiras estrofes é marcada pela diferença:
- os «outros» são felizes, como se deduz dos elementos referidos no texto - alegria aparente (v. 2 e v. 4),
brincadeira (v. 5), flores (v. 6), canto (vv. 8 a 10), festa (v. 11);
- o sujeito poético considera-se à parte e diferente deles - «São felizes, porque não são eu.» (v. 4), «Que
grande felicidade não ser eu!» (v14)

4-(20 pontos)
A dor e o vazio expressos na última estrofe, particularmente no verso «Um nada que dói...» (v. 26), decorrem das reflexões desenvolvidas nas duas estrofes anteriores.
O sujeito poético questiona-se quanto aos «outros» (v. 15) e aos seus sentimentos, concluindo que:
- cada outro é um eu (v. 16); só é possível sentir enquanto «eu» ou «nós» (vv. 21-24);
- não se pode saber o que eles, os «outros», sentem (vv. 17-20); existe uma incomunicabilidade essencial entre os seres humanos, de que resulta a consciência individual separada de cada eu.

B (30 pontos)
Na poesia de Ricardo Reis, são evidentes:
- a consciência aguda da passagem inexorável do tempo;
- a impotência do homem para lutar contra a inexorabilidade da passagem do tempo.
Por estas razões, encontramos em vários poemas a formulação de máximas epicuristas e estóicas que
incitam o homem:
- a fruir o momento presente, procurando prazeres moderados;
- a aceitar os limites da condição humana

II GRUPO

Item Versão 1 Versão 2
1.1. (D)         (B)          
1.2. (B)         (A)          
1.3. (C)         (B)          
1.4. (D)         (C)         
1.5. (C)         (B)          
1.6. (A)         (D)         
1.7. (A)         (B)          
2.1. «As terras»                  
2.2. Sujeito (composto)       
2.3. (Oração) subordinada (adverbial) consecutiva

III GRUPO

Dada a natureza deste item, não é apresentado cenário de resposta.

ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS

provas português exames gave 9º ano 12º ano
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)