Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Há duas novas variantes a circular em Portugal. Estirpe britânica já representa mais de 58% dos casos

Novo relatório do Instituto Ricardo Jorge avança novas estirpes associadas a uma maior transmissão.
3 de Março de 2021 às 16:17
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Nuno André Ferreira
Há duas novas variantes com a mutação L452R na proteína Spike em Portugal, revela o novo relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge.

No documento publicado esta quarta-feira no site do INSA é ainda anunciado que a estirpe britânica já representa 58,2% dos casos de Covid-19 no País. 

Até à data, foram analisadas 4346 sequências do genoma do novo coronavírus, obtidas de amostras colhidas em 75 laboratórios, hospitais e instituições, representando 252 concelhos de Portugal. Desde o dia 5 de fevereiro, data do último relatório, foram analisadas "mais 1085 sequências, incluindo 861 sequências obtidas no âmbito da vigilância de periodicidade mensal com amostragem nacional que o INSA está a coordenar", especifica o documento. 

O relatório indica ainda que foram identificados cinco casos da variante associada à África do Sul. Esta observação sugere que a circulação desta variante é ainda limitada em Portugal, 0.1% na amostragem de fevereiro.

Foram ainda detetados na amostragem de fevereiro, mais três casos da variante 501Y.V3 (P.1), primeiramente detetada no Brasil, que se juntam aos sete previamente notificados. Esta variante apresenta uma circulação de 0.4% na amostragem de fevereiro.

Foram ainda contabilizados 15 casos associados à variante P.2, também detetada inicialmente no Brasil e associada a casos de reinfeção.

O relatório indica também que a variante previamente identificada com a mutação de interesse L452R na proteína Spike, agora designada C.16, revelou uma frequência relativa de 5.1% na amostragem de fevereiro, revelando uma uma estabilização da sua frequência face a janeiro.

Ver comentários