Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

CP promete "melhorar drasticamente" serviço em várias linhas a partir de outubro

Queixas sobre o serviço prestado pela CP subiram de tom recentemente e o tema já se tornou motivo de confronto político.
4 de Setembro de 2018 às 16:59
CP
Comboio CP
CP
Comboio CP
CP
Comboio CP
O presidente da CP - Comboios de Portugal prometeu esta terça-feira "melhorar drasticamente" o serviço prestado nas linhas do Oeste, do Algarve, do Vouga e de Beja, a partir de outubro, através da substituição material circulante com dezenas de anos.

"A linha do Oeste é complicada, a linha do Algarve é complicada, a linha do Vouga é complicada, a linha de Casa Branca-Beja é complicada... Temos material a 'diesel' com muitos e muitos anos", afirmou o presidente da CP, Carlos Nogueira.

Falando na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas no âmbito de um requerimento do PSD, sobre a degradação do material e o serviço prestado, o responsável assegurou: "Vamos melhorar a pontualidade, a regularidade, todos os níveis de serviço dos comboios. Vamos melhorar drasticamente a partir de outubro e novembro do corrente ano, como irão comprovar".

Isto porque, a partir dessa altura, "vamos ter material disponível para guarnecer estas linhas com outra fiabilidade", apontou, aludindo à libertação de equipamentos que estavam a ser usados nas linhas do Minho e do Douro devido à eletrificação em curso.

Neste último caso, "com o fim do turismo ferroviário no Douro, que é sazonal, vamos guarnecer essas linhas onde temos sérios problemas", referiu.

"Incomoda-me verdadeiramente esta situação", que "decorre da vetustez do material circulante", reforçou Carlos Nogueira, explicando que em causa estão comboios com 50 a 60 anos.

Na ocasião, o responsável foi questionado pelos deputados sobre vários problemas no serviço prestado pela CP nos últimos meses, entre os quais o da falta de ar condicionado em algumas composições em dias de muito calor neste verão, que obrigou a suspender a venda de bilhetes em alguns casos.

De acordo com Carlos Nogueira, esta é "uma questão tecnológica" que se relaciona com os comboios Alfa Pendular e o seu tempo de uso.

O presidente da CP, também confrontado com questões sobre segurança, considerou que este "é um vetor fundamental", sublinhando que "os comboios que estão em condições para circular, circulam".

Ainda assim, "há reclamações [dos utentes] e há problemas, assumimos", indicou.

As queixas sobre o serviço prestado pela CP subiram de tom recentemente e o tema já se tornou motivo de confronto político.

"Diria que na CP está tudo por fazer, mas estamos a fazer o nosso melhor", concluiu Carlos Nogueira.

Depois da audição desta terça-feira, na quinta-feira deverá ser a vez do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, estar na comissão permanente para debater a situação da ferrovia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)