Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Da alegria ao desalento: Desconfinamento a várias velocidades em diferentes pontos do País

Presidente da República diz que regresso das aulas presenciais no Ensino Secundário e Superior é uma “nova primavera”.
Edgar Nascimento e José Carlos Eusébio 20 de Abril de 2021 às 01:30
Amadora: Houve quem esperasse uma hora para poder ir comprar roupa, após meses com as lojas fechadas.
Lisboa: Ministro da educação e Presidente da República assinalaram o regresso às aulas dos alunos do secundário
Setúbal: esplanadas e restaurantes junto ao sado estiveram bem compostos, durante a hora de almoço.
Braga: na maior cidade do minho regressam as rotinas 
e chegou a haver filas para alguns restaurantes.
Porto: já se pode comer, beber ou apenas conviver no interior dos cafés, como neste na baixa portuense.
Viseu: o regresso às aulas presenciais foi vivido com emoção e alegria pelos alunos da escola Alves Martins.
Coimbra: dois meses depois, este restaurante reabriu portas e alguns clientes aproveitaram para almoçar.
Amadora: muitos aproveitaram o dia para comprar adereços ou móveis para a casa. O espaço de restauração também esteve aberto
Portimão: Concelho algarvio regrediu no desconfinamento, tendo sido encerradas as esplanadas. As vendas voltaram a ser feitas ao postigo
Amadora: Houve quem esperasse uma hora para poder ir comprar roupa, após meses com as lojas fechadas.
Lisboa: Ministro da educação e Presidente da República assinalaram o regresso às aulas dos alunos do secundário
Setúbal: esplanadas e restaurantes junto ao sado estiveram bem compostos, durante a hora de almoço.
Braga: na maior cidade do minho regressam as rotinas 
e chegou a haver filas para alguns restaurantes.
Porto: já se pode comer, beber ou apenas conviver no interior dos cafés, como neste na baixa portuense.
Viseu: o regresso às aulas presenciais foi vivido com emoção e alegria pelos alunos da escola Alves Martins.
Coimbra: dois meses depois, este restaurante reabriu portas e alguns clientes aproveitaram para almoçar.
Amadora: muitos aproveitaram o dia para comprar adereços ou móveis para a casa. O espaço de restauração também esteve aberto
Portimão: Concelho algarvio regrediu no desconfinamento, tendo sido encerradas as esplanadas. As vendas voltaram a ser feitas ao postigo
Amadora: Houve quem esperasse uma hora para poder ir comprar roupa, após meses com as lojas fechadas.
Lisboa: Ministro da educação e Presidente da República assinalaram o regresso às aulas dos alunos do secundário
Setúbal: esplanadas e restaurantes junto ao sado estiveram bem compostos, durante a hora de almoço.
Braga: na maior cidade do minho regressam as rotinas 
e chegou a haver filas para alguns restaurantes.
Porto: já se pode comer, beber ou apenas conviver no interior dos cafés, como neste na baixa portuense.
Viseu: o regresso às aulas presenciais foi vivido com emoção e alegria pelos alunos da escola Alves Martins.
Coimbra: dois meses depois, este restaurante reabriu portas e alguns clientes aproveitaram para almoçar.
Amadora: muitos aproveitaram o dia para comprar adereços ou móveis para a casa. O espaço de restauração também esteve aberto
Portimão: Concelho algarvio regrediu no desconfinamento, tendo sido encerradas as esplanadas. As vendas voltaram a ser feitas ao postigo
A retoma das aulas presenciais no Ensino Secundário e Ensino Superior “é uma nova primavera”, nas palavras do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. “Um sinal de esperança, de confiança, de certeza no futuro”, salientou esta o Chefe de Estado, que visitou, com o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, a Escola Secundária Padre António Vieira, em Lisboa. 

“Passou mais de um mês sobre a primeira abertura de escolas, e já temos o balanço, que é positivo, em relação ao dia 15 de março. Passaram duas semanas sobre a segunda abertura das escolas e o balanço feito até agora é positivo”, referiu Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República apontou a vacinação de “praticamente 200 mil pessoas” contra a Covid-19 neste passado fim de semana como uma “boa notícia” que “oferece perspetivas que não têm nada a ver com o que se passou há um ano”.

Segundo o chefe de Estado, que recusou antecipar se o estado de emergência irá ou não terminar no fim deste mês, o balanço das etapas já concretizadas do plano de desconfinamento do Governo, em termos nacionais, é positivo: “Não corre igualmente bem em todo o território, mas temos de admitir que, no todo nacional, o balanço tem sido até agora positivo.”

No primeiro dia da nova fase de desconfinamento, foram muitos os portugueses que aproveitaram para ir aos centros comerciais, nomeadamente às lojas de roupa. Houve filas com dezenas de metros e tempo de espera para entrar nalgumas lojas de uma hora ou mais. Em 268 concelhos do continente - seis ficam na 2ª fase e quatro recuam à 1ª - foi também dia de reabertura dos cinemas e teatros.

Em Portimão fez-se marcha-atrás no desconfinamento, regressando a venda ao postigo. Os empresários locais, que negam estar a viver a nova primavera de Marcelo, afirmam que estão no meio de um furacão.

“Deu-me raiva ver em outros concelhos filas para as lojas e eu, aqui, sem conseguir trabalhar”, desabafou Teresa Calado, que tem uma loja de roupa no centro da cidade algarvia. Na restauração e similares, o fecho das esplanadas fez cair a pique as receitas.

“Estamos a faturar menos 60 a 70%”, revelou José Dinis, que está à frente de um café que tinha até esta segunda-feira uma esplanada com sete mesas. Muitos estabelecimentos, com os donos num total desalento, não voltaram sequer a abrir as portas.

O ensino presencial foi o único sinal de retoma no concelho.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários