Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Depressão está... no sangue

Cientistas austríacos revelam método inovador para diagnosticar a depressão, através de análises ao sangue.
2 de Maio de 2014 às 13:38
Depressão está... no sangue
Depressão está... no sangue FOTO: Getty Images/Science Photo Library

Uma equipa de investigadores do departamento de Psiquiatria Biológica da Universidade Médica de Viena, Áustria, descobriu recentemente um método revolucionário para diagnóstico da depressão.

Com uma simples análise ao sangue, é possível detetar os baixos níveis de serotonina no doente, de forma a prever crises depressivas.

A serotonina é uma molécula responsável pela libertação de hormonas que controlam os batimentos cardíacos, a fome e o sono. Esta molécula está ainda associada aos sentimentos de calma, felicidade e euforia.

Segundo o chefe da investigação, Dr. Lukas Pezawas: “Ainda que o diagnóstico de doenças mentais através da realização de análises sanguíneas fosse, até agora, considerado impossível, este estudo vem provar que se pode tornar uma realidade num futuro muito próximo.”

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, nos próximos 20 anos a depressão vai tornar-se na doença mais comum do Mundo, com maior número de afetados do que o cancro ou as doenças cardíacas. Actualmente mais de 450 milhões de pessoas vivem com distúrbios mentais associados à "epidemia do século".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)