Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Detetadas falhas no Garcia de Orta

Doente sem informação de como se proteger da infeção.
Cristina Serra 8 de Novembro de 2016 às 08:29
Suspeitas das condições de controlo de infeção levaram uma equipa técnica da DGS ao hospital de Almada
Suspeitas das condições de controlo de infeção levaram uma equipa técnica da DGS ao hospital de Almada FOTO: Sérgio Lemos
Foram detetadas falhas no serviço de internamento do Hospital Garcia de Orta, em Almada. Em causa estão os procedimentos de segurança para controlar a infeção por bactérias multirresistentes detetadas em alguns doentes.

"Interrogado um doente que partilha uma enfermaria com um doente infetado, aquele não possuía informação de como se proteger da transmissão da infeção", refere o relatório da Direção-Geral da Saúde, que ontem efetuou uma visita técnica à unidade. Acrescenta "não ter sido encontrada evidência" de que as visitas, limitadas a duas por doente, sejam recebidas por auxiliares de ação médica ou enfermeiras, para orientação de cuidados preventivos e proteção. Os técnicos da DGS constataram ainda que o número de quartos de isolamento é "manifestamente insuficiente", apesar de existirem cinco e de estarem a ser criados mais quatro. Além destes nove, defende a equipa da DGS, "seriam necessários mais cinco quartos de isolamento". Apesar das falhas, os técnicos consideram que são cumpridas as "precauções básicas de controlo de infeção".

A assessoria do hospital garante cumprir "todos os procedimentos de prevenção e controlo de infeção de acordo com as normas". "Sempre que surgem casos, é feita uma análise cuidada, decidindo se devem ser sujeitos a isolamento físico ou de contacto", refere, assegurando que "o hospital não coloca doentes recém-operados numa enfermaria onde tenham sido detetados ou colocados doentes infetados".
Garcia de Orta falhas bactérias doente infeção Almada
Ver comentários