Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Diretor de medicina intensiva do hospital de S. João defende encerramento de escolas

"É preferível meter as medidas todas ao mesmo tempo e depois ir aliviando de forma incremental", afirmou José Artur Paiva.
Lusa 13 de Janeiro de 2021 às 16:37
Paciente com Covid-19 nos cuidados intensivos
Paciente com Covid-19 nos cuidados intensivos FOTO: Getty Images
O diretor de serviço de medicina intensiva do Hospital de São João, Porto, defendeu esta quarta-feira o encerramento das escolas, uma medida "contra" a sua "convicção natural", mas "essencial" num momento "horribilis" do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

"A situação atual é tão preocupante que, nesta altura, advogo o encerramento das escolas na totalidade. Isto é algo completamente contra o meu coração. Defendo isso porque estamos numa situação hipergrave. É preferível meter as medidas todas ao mesmo tempo, simbolizando à população a gravidade do momento, e depois ir aliviando de forma incremental", disse José Artur Paiva, em entrevista à agência Lusa.

No dia em que Portugal regista novos máximos diários quer de mortalidade, quer de casos, desde o início da pandemia da covid-19, o médico que é também presidente do Colégio de Medicina Intensiva da Ordem dos Médicos, defende um modelo de escolas abertas "apenas" para "resposta aos pais que tenham profissões de elevada necessidade", algo semelhante ao que outros países já implementaram, como a Inglaterra por exemplo.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Hospital de São João S. João SNS Porto Serviço Nacional de Saúde saúde hospitais coronavírus esvcolas
Ver comentários