Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Doentes com apoios cortados

"A Saúde é um direito não é um negócio." Esta foi uma das frases de protesto dos mais de cem utentes de Benavente que ontem se concentraram junto à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), em Lisboa.
24 de Agosto de 2011 às 00:30
Na sua maioria, os utentes são idosos e com dificuldades económicas ou de locomoção
Na sua maioria, os utentes são idosos e com dificuldades económicas ou de locomoção FOTO: Tiago Sousa Dias

Os utentes estão desde Julho impedidos de usufruir das comparticipações do Serviço Nacional de Saúde no recurso às consultas de fisioterapia, dermatologia, cirurgia e cardiologia na Santa Casa da Misericórdia de Benavente, apesar do acordo assinado entre a instituição e a ARSLVT. "Obrigam os idosos a ir ao médico a Lisboa ou Vila Franca de Xira e nem dão transporte", lamentou Alzira Maria, de 79 anos.

Após uma reunião com o presidente da ARSLVT, Rui Portugal, o porta-voz da comissão de utentes, Domingos David, explicou que "houve um desbloqueamento no acesso às consultas de fisioterapia e dermatologia". A solução não agrada aos utentes, que prometem mais protestos.

Já o presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel Lemos, e o Provedor da Santa Casa de Benavente, Joaquim Jacinto, exigem o cumprimento do acordo. A ARSLVT garante aos utentes um "acesso equitativo e de qualidade" aos cuidados de Saúde.

PROTESTO DOENTES LISBOA BENAVENTE
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)