Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1
Ao minuto Atualizado às 12:25 | 25/04

"Vamos ao essencial. Vencer as crises que temos que vencer": Marcelo Rebelo de Sousa termina discurso na cerimónia do 25 de Abril

Decorre este sábado uma celebração inédita do aniversário da 'Revolução dos Cravos' devido ao novo coronavírus.
Correio da Manhã 25 de Abril de 2020 às 10:01
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Celebração do 25 de Abril no Parlamento
Ao minuto Atualizado a 25 de abr de 2020 | 12:25
12:25 | 25/04
Seria civicamente vergonhoso AR demitir-se de exercer todos os seus poderes - Marcelo Rebelo de Sousa
O Presidente da República defendeu hoje que a sessão solene do 25 de Abril é "um bom e não um mau exemplo" e que seria "civicamente vergonhoso" o parlamento demitir-se agora de exercer todos os seus poderes.

"O que seria verdadeiramente incompreensível e civicamente vergonhoso era haver todo um país a viver este tempo de sacrifício e de entrega e a Assembleia da República demitir-se de exercer todos os seus poderes numa situação em que eles eram e são mais do que nunca imprescindíveis. E também nesta sessão, que sempre foi e será um momento essencial de controlo crítico e plural em liberdade e democracia - porque são esses os valores de Abril", afirmou.

No encerramento da sessão solene comemorativa do 46.º aniversário do 25 de Abril, na Assembleia da República, Marcelo Rebelo de Sousa centrou o seu discurso na defesa desta comemoração da Revolução dos Cravos, procurando responder às "dúvidas de alguns portugueses".

"Num tempo de confinamento de tantos portugueses, como foi na Páscoa e agora no Ramadão, não estamos perante um mau exemplo em estado de emergência, no plano dos princípios, como no do acatamento das diretivas sanitárias? Não. O estado de emergência implica um reforço extraordinário dos poderes do Governo. E, porque vivemos em liberdade e democracia e é com elas que queremos vencer estas crises, quanto maiores são os poderes do Governo, maiores devem ser os poderes da Assembleia da República para o controlar", argumentou.
11:50 | 25/04
Marcelo Rebelo de Sousa considera que revolução tinha de ser evocada
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu hoje que "o 25 de abril é essencial e tinha de ser evocado", tal como vão ser o 10 de junho, o 05 de outubro e o 01 de Dezembro.

"Em tempos excecionais de dôr, sofrimento, luto, separação e de confinamento, é que mais importa evocar a pátria, a independência, a República, a liberdade e a democracia", acentuou o chefe de Estado na sessão solene evocativa da Revolução dos Cravos na Assembleia da República.

No início da intervenção, Marcelo considerou que estes tempos de pandemia da covid-19 impõem unidade, mas "não unicidade nem unanimismo".
11:42 | 25/04
"Posto" dos deputados é no parlamento e ataca demagogia - PS
A líder parlamentar do PS afirmou que os deputados estão hoje a assinalar o 25 de Abril no seu "posto", a Assembleia da República, e frisou que o parlamento nunca se poderá deixar "sequestrar" pela demagogia.

"Um parlamento que se deixasse sequestrar pela demagogia estaria a defraudar Abril, tal como defraudaria Abril um parlamento fechado sobre si mesmo. Ter um parlamento forte é cumprir Abril", declarou Ana Catarina Mendes no seu discurso na sessão solene comemorativa do 46º aniversário da revolução democrática de 1974.

Na sua intervenção, a líder da bancada socialista fez várias alusões à polémica em torno do formato das comemorações deste ano do 25 de Abril, num momento em que Portugal enfrenta a pandemia de covid-19, e insurgiu-se contra as correntes que pretenderam que o parlamento não assinalasse esta data.
11:25 | 25/04
Rio elogia resposta da democracia à covid-19, mas alerta para perigos de nova vaga - PSD
O presidente do PSD elogiou hoje a resposta do regime democrático à crise sanitária, na primeira comemoração "condicionada" do 25 de Abril, mas alertou para os perigos de uma segunda vaga para a saúde e economia nacionais.

Na sua intervenção na sessão solene do 25 de Abril, Rui Rio apontou que, pela primeira vez, esta data é comemorada em Portugal "com a liberdade condicionada", com reflexos na cerimónia na Assembleia da República, com muito menos pessoas do que o habitual, quer de deputados, quer de convidados.

"Mas aquilo que, à primeira vista, pode parecer negativo, é no fundo um exemplo positivo do próprio regime democrático; que, sem complexos, mostrou ser capaz de responder com a legalidade constitucional, perante uma ameaça séria à nossa saúde coletiva", afirmou.

O líder do PSD sublinhou que "Portugal não tem a democracia suspensa", pelo contrário.
11:25 | 25/04
"Não aceitamos lições de democracia de ninguém" - CDS-PP
O líder parlamentar do CDS-PP salientou hoje que o partido não aceita "lições de democracia de ninguém", respondendo assim aqueles que criticaram os democratas-cristãos por se terem manifestado contra o modelo de celebração do 25 de Abril.

"O CDS é um dos quatro partidos históricos da nossa democracia e a voz representativa da democracia cristã, neste hemiciclo, desde as primeiras eleições livres. Não aceitamos lições de democracia de ninguém", afirmou Telmo Correia na intervenção que fez na sessão solene evocativa da Revolução dos Cravos, que decorre na Assembleia da República.

Na sua curta intervenção, o deputado assinalou que "até que os partidos" que "impuseram" a sessão solene "a foram reduzindo e espaçando, seja em número de deputados seja em número de convidados".
11:16 | 25/04
Pandemia mostrou que SNS é que salva e rejeita cartilha da austeridade - BE
O BE considerou hoje que Portugal aprendeu com a pandemia que é o Serviço Nacional de Saúde que "salva e protege" as pessoas e que os profissionais de saúde são imprescindíveis, rejeitando o desenterrar da "velha cartilha" da austeridade.

Na sessão solene comemorativa do 46.º aniversário do 25 de Abril de 1974, na Assembleia da República, em Lisboa, o BE voltou a colocar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) no centro do seu discurso - tal como aconteceu, aliás, nos últimos dois anos -- destacando que "a crise sanitária mostrou como a saúde é um bem público".

Foi precisamente o deputado responsável pela área da saúde, Moisés Ferreira, que fez a intervenção pelos bloquistas -- começando por "lembrar todas as pessoas que sucumbiram ao novo coronavírus" - num 25 de Abril que considerou ser "diferente no modo, mas ainda mais importante no significado".

11:12 | 25/04
Por Abril, contra a austeridade e a exploração - PCP
O secretário-geral do PCP defendeu este sábado as comemorações do 25 de Abril no parlamento, em tempos de pandemia de covid-19, e alertou contra os discursos dos "cortes", da austeridade e de quem empola "dificuldades reais".

O deputado comunista Jerónimo de Sousa, de cravo vermelho na lapela, aproveitou o discurso na sessão solene na Assembleia da República para evocar os "valores de Abril", mas fez igualmente uma série de avisos sobre os "tempos difíceis" que se vivem, rejeitando "receitas" como cortes de salários ou pensões no período pós-pandemia.

"Não o podemos aceitar", afirmou, depois de dizer que se vivem "tempos difíceis".

11:09 | 25/04
"Abril está por cumprir" no funcionamento da democracia - PAN
A líder parlamentar do PAN, Inês Sousa Real, considerou hoje que "Abril está por cumprir" na saúde, no ambiente e no funcionamento das instituições democráticas e defendeu "uma nova alvorada" com "novas políticas e um novo paradigma".

Discursando na sessão solene para celebrar a revolução de 25 de abril de 1974, Inês Sousa Real defendeu que "Abril está por cumprir no funcionamento das instituições" democráticas, afirmando que "na própria casa da democracia ainda há quem mostre intolerância a desvios ao pensamento único".

"À democracia, de pouco ou nada servirão cerimónias e demais simbologias, que se mostrem alheadas das aspirações e preocupações das pessoas e muito menos das consequências da atual crise sanitária, económica, social e ambiental, ditada por uma doença silenciosa e desconhecida", declarou a deputada do PAN.
11:06 | 25/04
Portugal precisa de "um novo regime" e aponta críticas à corrupção e aos impostos - Chega
O deputado único do Chega, André Ventura, defendeu este sábado na Assembleia da República uma nova revolução, argumentando que Portugal precisa de "uma nova madrugada" que traga um "novo regime" porque "este já não serve".

"Hoje celebramos o fim de uma ditadura e o início de um regime democrático mas, porque não dizê-lo, precisamos de outro, precisamos de outro", afirmou o líder demissionário do Chega na sessão solene que comemora o 46.º aniversário do 25 de Abril.
10:53 | 25/04
"Portugueses podem ser tão bons como os melhores se não houver conformismos" - Iniciativa Liberal

A Iniciativa Liberal defendeu hoje que caso se resista a "conformismos e falsos unanimismos" e se impeça que "o Estado se confunda com um partido", os portugueses "serão tão bons como os melhores e mais livres do que nunca".

No primeiro discurso da Iniciativa Liberal numa sessão solene comemorativa do 25 de Abril de 1974 -- uma vez que o partido chegou ao parlamento pela primeira vez nas eleições do ano passado -- João Cotrim Figueiredo leu uma carta dirigida ao seu filho mais novo, que faz hoje 18 anos, e que "no fundo se dirige a toda uma geração".

"Graças ao 25 de Abril e ao 25 de Novembro, nasceste num país democrático e livre, mas a liberdade que verdadeiramente interessa não é a dos países, é a das pessoas e não há verdadeira liberdade enquanto não houver igualdade de oportunidades e possibilidade de escolha", refere.
10:51 | 25/04

"Os portugueses estão vacinados contra a austeridade", Ferro Rodrigues
O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, defendeu hoje que Portugal e os portugueses estão vacinados contra a austeridade e pediu unidade no combate às consequências económicas e sociais resultantes da pandemia de covid-19.

Esta posição foi defendida por Ferro Rodrigues no discurso que proferiu na sessão comemorativa do 25 de Abril na Assembleia da República, numa intervenção sobretudo aplaudida pelo PS, mas em momento algum pelo líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia.

Ferro Rodrigues referiu que, "contra todas as expectativas, contra muitos que pensavam nunca tal poder acontecer", os portugueses "foram capazes de ultrapassar bloqueios e encontrar soluções capazes de recuperar o país da profunda crise - até mesmo de identidade e de valores - em que se encontrava, depois de um período tão difícil e complexo como foi o período de assistência financeira, com profundos impactos na pobreza e na exclusão social".

"De uma coisa estou certo: Portugal e os portugueses estão vacinados contra a austeridade. Resta saber se a vacina tem 100% de eficácia", apontou.

10:51 | 25/04
Parlamento faz minuto de silêncio pelas vítimas da covid-19 após proposta de Ferro
O parlamento fez este sábado um minuto de silêncio pelas vítimas da covid-19, depois de o presidente da Assembleia da República ter formulado esse pedido logo no início do seu discurso na sessão comemorativa do 25 de Abril.
10:51 | 25/04

Vários cravos, muito vermelho e uma máscara no plenário da AR
Vários deputados usaram hoje no plenário o cravo na lapela ou na mão, muitos escolheram roupa vermelha e apenas uma deputada recorreu à mascara de proteção individual, numa sessão solene muito mais vazia que o habitual devido à covid-19.

De cravo estavam vários deputados do PS, alguns do PSD - não o líder, Rui Rio -, todos os do Bloco de Esquerda e do PCP e também os três membros do Governo que acompanham nesta cerimónia o primeiro-ministro, António Costa, ele próprio com esta flor na lapela, tal como o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues.

O vermelho foi também uma cor escolhida por muitos deputados para a sessão solene, com várias gravatas desta cor, alguns vestidos, blusas ou calças.

Parlamento Grândola Vila Morena PCP BE PAN Governo política PS 25 de Abril coronavirus covid19 covid-19
Ver comentários