Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Enfermeiros criticam "falta de visão estratégica do Governo"

Ordem dos Enfermeiros lamenta que os responsáveis políticos continuem "a não contratar enfermeiros de que tanto necessitam, deixando o país na cauda da Europa no que diz respeito ao número de enfermeiros".
14 de Julho de 2013 às 18:30

O bastonário da Ordem dos Enfermeiros criticou este domingo a "falta de visão estratégica do Governo" relativamente ao Ensino Superior porque, apesar de voltar a aumentar as vagas para Enfermagem, o executivo continua a não contratar os enfermeiros necessários.

"A Ordem dos Enfermeiros (OE) lamenta que, mais uma vez, o Ministério da Educação e Ciência (MEC) não esteja preocupado com os contribuintes e cidadãos de Portugal, mas apenas com as tão famigeradas estatísticas do ensino superior", pode ler-se no comunicado enviado à agência Lusa.

De acordo com a OE, no próximo ano letivo volta a existir um aumento das vagas para o ensino público de Enfermagem, mas a verdade é que os responsáveis políticos "continuam a não contratar enfermeiros de que tanto necessitam, deixando o país na cauda da Europa no que diz respeito ao número de enfermeiros" e continua a formar estes profissionais "cada vez a um maior ritmo".

"Considero uma falta de visão estratégica e de respeito pelos cidadãos e contribuintes portugueses, ainda mais neste momento de contenção económica tão necessária. É que a filosofia política do MEC continua desfasada da realidade. Formar um enfermeiro custa aos contribuintes quatro anos de investimento que ronda cerca de 25 mil euros/ano para depois outros países suprirem da sua formação a custo zero", condena o bastonário da OE, Germano Couto.

O bastonário incentiva ainda os jovens estrangeiros a formarem-se em Enfermagem em Portugal, e depois regressarem aos seus países, após a conclusão da licenciatura.

"Dado que a nossa formação em enfermagem é internacionalmente reconhecida seria, esta sim, uma oportunidade estratégica a implementar", defendeu.

De acordo com os dados disponibilizados pela OE, no ano de 2012/2013, foram abertas 2008 vagas para o ensino superior público em Enfermagem, estando estabelecidas para o próximo ano 2029, um aumento de 21 vagas.

De acordo com os dados divulgados pelo MEC, as vagas para o Ensino Superior em Portugal baixam pelo segundo ano consecutivo, em 2013-2014, estando disponíveis para a primeira fase 51.461 novos lugares, menos 837 do que em idêntico período de 2012-2013.

Ensino enfermagem vagas educação
Ver comentários