Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Engenhos explosivos encarecem remoção de resíduos perigosos em Gondomar

Retirada de resíduos perigosos vai custar mais 2,3 milhões euros. Conselho de Ministros aprovou aumento da dotação.
Ana Maria Ribeiro 30 de Novembro de 2021 às 08:52
Engenhos explosivos encarecem remoção de resíduos perigosos em Gondomar
Engenhos explosivos encarecem remoção de resíduos perigosos em Gondomar FOTO: CMTV
Vários engenhos explosivos foram descobertos nas escombreiras de São Pedro da Cova, em Gondomar, de onde estavam a ser retirados resíduos sólidos perigosos. A descoberta vai aumentar os gastos da empreitada em mais 2,3 milhões de euros (para um total de 14 milhões).

A autorização para o reforço de verbas afetas à remoção dos resíduos já foi dada em resolução do Conselho de Ministros de 18 de novembro e foi publicada esta segunda-feira em Diário da República. De acordo com o texto da mesma, parte do dinheiro será disponibilizado ainda este ano (4,3 milhões de euros).

A descoberta dos explosivos, que obrigou a uma paragem nos trabalhos “por questões de segurança dos trabalhadores e dos equipamentos”, “exigiu a intervenção da Brigada de Minas e Armadilhas da GNR, bem como o rastreamento de novos explosivos pelas forças militares do Exército português”, sublinha o texto da resolução.

No entanto, apesar dos condicionamentos, o presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, mantém a expectativa de que a remoção fique concluída “até final do ano”. Nas contas do autarca, falta apenas remover 1,5% dos materiais depositados nas escombreiras. A remoção começou em 2014, mais de 10 anos após o depósito dos resíduos, e motivou iniciativas locais como vigílias, concentrações e protestos.
Ver comentários