Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Escolas de Fátima fechadas durante visita de Bento XVI

Os pais dos alunos de escolas em Fátima terão que encontrar alternativas para deixarem os seus filhos a 12 e 13 de Maio, uma vez que os estabelecimentos de ensino da cidade vão estar encerrados devido à visita de Bento XVI.
30 de Abril de 2010 às 12:09
Pais terão que encontrar alternativas para deixarem os filhos
Pais terão que encontrar alternativas para deixarem os filhos FOTO: Rui Miguel Pedrosa

"É muito complicado para os pais, embora haja sempre um avô, uma tia, um amigo" para tomarem conta dos mais pequenos, salientou Manuel Bento, director do Centro de Estudos de Fátima, Manuel Bento. 

Para os pais das crianças que habitualmente são acompanhadas pela Associação de Pais e Encarregados de Educação dos Alunos dos Jardins e Escolas de Fátima, estes dias serão mais tranquilos.  

A associação, que garante os almoços e a ocupação das crianças fora do período lectivo em duas creches, seis jardins-de-infância e quatro escolas de primeiro ciclo, vai assegurar o ATL (Atelier de Tempos Livres) para as 20 crianças inscritas.  

O presidente da associação, Ricardo Gonçalves, garantiu que vão conseguir  funcionar porque não estão no centro da cidade, tendo acordado com os pais fazer o transporte dos filhos a partir da Rotunda Sul. Ainda assim, o responsável afirmou que não têm capacidade para alargar o apoio a crianças que não estejam inscritas.

Isabel Batista, directora do Agrupamento de Escolas de Ourém, referiu que, dados os condicionamentos de trânsito, é praticamente impossível  garantir o funcionamento das escolas da cidade durante a visita do papa. 

Além da tolerância de ponto dada aos funcionários públicos no dia 13, a Câmara Municipal de Ourém deu tolerância aos seus funcionários no dia 12, o que vai obrigar a "alguma ginástica" para manter as escolas de Ourém  a funcionar nesse dia.  

Em Fátima, o agrupamento tem mais de 600 alunos em 12 escolas do primeiro ciclo e sete do pré-escolar.  

Por seu turno Virgílio Mota, director do Colégio São Miguel (com 1170 alunos do 5.º ao 12.º ano), afirmou que, além dos constrangimentos nos acessos, sobretudo para os alunos da periferia, a escola foi requisitada pela Protecção Civil. 

Dada a proximidade do Santuário, o colégio vai funcionar como centro  de apoio às forças de segurança e bombeiros e também como apoio aos peregrinos, afirmou.  

No Colégio Coração de Maria (com quase 500 alunos do 5.º ao 9.º ano),  a decisão de encerrar na segunda-feira foi ditada pela confirmação, por parte da GNR, dos condicionamentos nos acessos.  

Maria Lopes, uma das freiras responsáveis pelo colégio acrescentou que, embora no dia 12 de manhã ainda houvesse condições para os pais colocarem os filhos na escola, os condicionamentos que serão criados na parte da tarde iriam criar dificuldades difíceis de ultrapassar.  

Também o director do Centro de Estudos de Fátima (com 1200 alunos do  5.º ao 12.º ano) disse que o facto de a GNR não conseguir garantir a segurança  nos transportes na tarde do dia 12 pesou na decisão de encerrar nesse dia.

O papa Bento XVI vai visitar Portugal de 11 a 14 de Maio e passará por Lisboa, Fátima  e Porto.  

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)