Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Estátua de D. Sebastião da estação do Rossio vai ser exposta em local seguro. Câmara de Lisboa não concorda

Organismo aprovou moção para a reposição da estátua no local original "com a maior brevidade possível".
Lusa 29 de Janeiro de 2020 às 23:36
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
Estátua de D. Sebastião
A estátua de D. Sebastião, que ornamentava a fachada da estação ferroviária do Rossio, em Lisboa, "será colocada para exposição em local seguro para que não seja alvo de outros atos de vandalismo", anunciou a Infraestruturas de Portugal esta quarta-feira.

Responsável pelo edifício, a Infraestruturas de Portugal (IP) defende que a estátua seja exposta "como memória futura da preservação do património cultural".

Num comunicado enviado à agência Lusa, a IP cita um relatório da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) "a quem competiu o processo de avaliação" e, "uma vez que o ato de vandalismo praticado sobre a estátua de D. Sebastião a deixou sem hipótese de restauro, a IP-Património está a promover os procedimentos tendentes à realização de uma consulta pública de especialistas para o restauro da peça".

A IP esclarece que se procedeu "à recolha e devido acondicionamento de todos os fragmentos da estátua em estreita colaboração com a DGPC e técnicos das duas entidades analisaram os danos e avaliaram as hipóteses da sua recuperação".

O "trabalho de restauro é muito exigente e será desenvolvido em estreita parceria com a DGPC, entidade com a qual a IP-Património tem colaborado desde a primeira hora", lê-se no mesmo comunicado, adiantando que "a peça será posteriormente colocada para exposição em local seguro para que não seja alvo de outros atos de vandalismo e que constitua como memória futura da preservação do património cultural".

A IP esclarece também que o autor da obra é o escultor francês Gabriel Farail (1838-1892) e não José Simões de Almeida (tio), a quem foi atribuída por um grupo de cidadãos que no passado dia 22 exigiu a "reposição" da estátua.

"A assinatura está localizada na zona lateral do escudo e é visível em dois pedaços partidos", afirma a IP.

A estátua do rei D. Sebastião foi danificada em maio de 2016, quando um turista tentou fotografar-se junto dela e esta, com cerca de 130 anos, cedeu e partiu-se.

O grupo de cidadãos que no passado dia 22 exigiu a "reposição" da estátua disseram, nessa altura, que há uma réplica no Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto, também em Lisboa, e colocaram a hipótese de se fazer uma nova estátua, a partir dos moldes originais que, supostamente, se encontram no Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado.

Câmara de Lisboa quer reposição da estátua original na estação do Rossio

A Câmara de Lisboa aprovou esta quarta-feira, por unanimidade, uma moção para a reposição da estátua original de D. Sebastião, que fazia parte da ornamentação da fachada da estação ferroviária do Rossio, "com a maior brevidade possível".

A estátua do rei foi danificada em maio de 2016, quando um turista tentou fotografar-se junto dela, e esta, com cerca de 130 anos, cedeu e partiu-se.

No documento, apreciado em reunião pública do executivo, a decorrer nos Paços do Concelho, é solicitado à Infraestruturas de Portugal (IP) "a prestação de informação sobre os procedimentos e diligências em curso relativos ao restauro da estátua de D. Sebastião".

A moção, que partiu da vereação do CDS-PP, pede também à IP a reposição da estátua "com a maior brevidade possível".

Apesar da versão inicial do documento sugerir a colocação de uma réplica da estátua na estação do Rossio e a musealização da versão original, o presidente da Câmara de Lisboa pediu a retirada desse ponto.

"As estátuas são para estar no espaço público", defendeu Fernando Medina (PS), considerando que a câmara deve pedir à IP a reposição da estátua original "e não de uma réplica".

Pouco antes da votação desta moção, a IP enviou um comunicado à Lusa, no qual esclarece que a estátua vai ser restaurada e "colocada para exposição em local seguro para que não seja alvo de outros atos de vandalismo", descartando assim que regresse à estação do Rossio.

Na madrugada de quarta-feira, um grupo de cidadãos realizou uma ação, em frente à estação ferroviária do Rossio, exigindo a "reposição" da estátua.

Uma petição 'online', que conta com 517 assinaturas, exige à IP que "na fachada da estação de comboios do Rossio recentemente restaurada seja reposta uma réplica da estátua de D. Sebastião e que se musealizem os restos da estátua partida, cuja recuperação não permite (segundo a própria empresa) remontar a estátua de novo na fachada".

Inaugurada em 11 de junho de 1890, a estação do Rossio foi classificada pelo Instituto Português do Património Arquitetónico como imóvel de interesse público, em 1971.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)