Estima-se que a hiperidrose afete cerca de 300 mil em Portugal

Cerca de 51% das pessoas com este problema sofrem de transpiração excessiva nas axilas.
Por Teresa Oliveira|28.05.17
Transpirar é condição importante para regular a temperatura do corpo, mas quando ultrapassa as necessidades do organismo estamos perante um problema. "Esta transpiração em excesso designa-se por hiperidrose e pode ter um impacto negativo na qualidade de vida da pessoa", explica ao CM a angiologista Joana de Carvalho.
Estima-se que a hiperidrose possa atingir cerca de 300 mil pessoas em Portugal.

A transpiração excessiva manifesta-se, mais frequentemente, nas palmas das mãos, axilas e plantas dos pés. Cerca de 51% dos doentes sofrem de hiperidrose nas axilas.
Ainda de acordo com a especialista, na hiperidrose primária não há causa nenhuma conhecida mas sim uma "hiperatividade das glândulas sudoríparas relacionada com uma hiperestimulação do sistema nervoso autónomo simpático".

A primária é mais comum surgir numa idade jovem e incide principalmente nas axilas, mãos e pés. Pode agravar-se em situações de stress ou com o calor, mas durante o repouso noturno não se manifesta. Os especialistas consideram que pode haver uma predisposição genética.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!