Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Federação sindical da função pública inicia congresso marcado por saída de Ana Avoila

A atual coordenadora vai deixar o sindicalismo aos 66 anos de idade, após 34 anos de dedicação exclusiva, 16 dos quais na liderança da federação.
Lusa 16 de Janeiro de 2020 às 07:26
Ana Avoila, coordenadora da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas
Arménio Carlos, líder da CGTP
Arménio Carlos, líder da CGTP
Ana Avoila, coordenadora da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas
Arménio Carlos, líder da CGTP
Arménio Carlos, líder da CGTP
Ana Avoila, coordenadora da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas
Arménio Carlos, líder da CGTP
Arménio Carlos, líder da CGTP
A Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSFP) inicia esta quinta-feira, em Braga, o seu XII Congresso, cujo ponto alto será a saída de Ana Avoila da coordenação e a eleição de Sebastião Santana.

Os delegados dos quatro sindicatos que integram a federação sindical, filiada na CGTP, vão discutir os principais problemas que afetam os trabalhadores da administração pública e definir as linhas de orientação programática para os próximos quatro anos.

Sob o lema "Lutar e Avançar nos Direitos! -- Salários, Carreiras, Serviços Públicos", os representantes dos sindicatos da função pública do Norte, do Centro e do Sul e do sindicato dos trabalhadores consulares vão aprovar as reivindicações pelas quais se vão bater e vão eleger a nova direção.

A atual coordenadora, Ana Avoila, vai deixar o sindicalismo aos 66 anos de idade, após 34 anos de dedicação exclusiva, 16 dos quais na liderança da federação.

Sebastião Santana, atualmente dirigente do Sindicato da Função Pública do Sul e Regiões Autónomas, é o candidato à coordenação que vai ser votado no congresso.

Ana Avoila é também coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, mas não se sabe ainda se será Sebastião Santana a ocupar esse lugar.

A FNSFP, constituída há 41 anos, é composta por quatro sindicatos, representando cerca de 68.000 trabalhadores.

A Frente Comum funciona como uma plataforma reivindicativa e de negociação com o Governo, integra 29 sindicatos e federações, como a Fenprof ou o STAL, representando cerca de 300 mil trabalhadores da administração pública.

A intervenção de abertura do congresso será feita por Ana Avoila, que se mantém em funções até ao final de fevereiro, mas a de encerramento será feita pelo novo coordenador.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, participa no XII Congresso da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais e fará a intervenção político sindical final.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)