Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Governo da Madeira estima redução da população residente face ao Censos 2011

Arquipélago "é a região do país com maior percentagem de alojamentos recenseados, com um diferencial positivo de mais de cinco pontos percentuais em relação à média nacional".
Lusa 4 de Maio de 2021 às 18:27
Madeira
Madeira FOTO: iStockphoto
O Governo da Madeira estima uma redução da população residente em relação a 2011, quando 94,5% dos alojamentos estão recenseados no âmbito do Censos 2021, correspondendo a cerca de 240 mil pessoas, anunciou o executivo esta terça-feira.

"Até à data, estão já recenseados cerca de 240 mil madeirenses", segundo uma informação difundida pela vice-presidência do executivo regional.

Segundo o Governo Regional, embora "seja prematuro fazer uma apreciação da população residente final, e não se conhecendo na totalidade a percentagem dos alojamentos por recensear que estão ou não ocupados por famílias, estima-se uma diminuição da população residente na região face aos Censos apurados em 2011".

A vice-presidência do executivo madeirense indica que, esta terça-feira, "faltava apenas recolher, no âmbito dos Censos 2021, informação de 7.660 alojamentos, o que corresponde a 5,5% do total de alojamentos da Região Autónoma da Madeira".

Os dados recolhidos pela Direção Regional de Estatística da Madeira "demonstram que a resposta dada dentro do prazo - isto é, entre 19 de abril e 3 de maio -, abrangeu 94,5% dos cerca de 140 mil alojamentos existentes" no arquipélago.

Tendo por base a situação registada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a Madeira "é a região do país com maior percentagem de alojamentos recenseados, com um diferencial positivo de mais de cinco pontos percentuais em relação à média nacional".

Na nota, o Governo insular destaca a "colaboração inexcedível" da população, indicando que o número de alojamentos que falta recensear é inferior a 5% e o processo "está praticamente terminado nos municípios do Porto Moniz, da Calheta, São Vicente e Porto Santo".

As respostas recebidas resultaram do preenchimento 'online' por 89% das famílias, 6% por entrevista direta do recenseador e 4% nas Juntas de Freguesia, tendo sido "residual" as respostas via telefone ou papel.

A Direção Regional de Estatística lembra ainda que "a operação tem apenas fins estatísticos, não resultando no cruzamento com as Finanças, com a Segurança Social ou outra qualquer entidade".

"Toda a informação reportada é confidencial e dela não resultará a perda de benefícios em termos individuais", indica.

O Governo Regional salienta que os dados recolhidos no âmbito deste processo, os Censos 2021, vão ser "conhecidos entre o final do mês de julho e o início do mês de agosto, numa divulgação simultânea das autoridades estatísticas envolvidas na operação, INE e serviços regionais de estatística da Madeira e dos Açores".

Ver comentários