Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Governo defende mais autonomia universitária

O secretário de Estado da Ciência e Ensino Superior, João Queiró, defendeu esta segunda-feira que deve ser concedida mais autonomia às universidades.
14 de Maio de 2012 às 23:28
universidades, joão queiró, ensino superior, autonomia
universidades, joão queiró, ensino superior, autonomia FOTO: Jorge Paula

"A autonomia universitária é do interesse público, sobretudo quando há mais restrições orçamentais", disse, na abertura de um Seminário na Gulbenkian, em Lisboa, sobre autonomia universitária, organizado pela Associação Europeia de Universidades e pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas.

Aos jornalistas, o governante reforçou o desejo de mais autonomia: "Neste momento, existe o modelo das universidades clássicas e o das universidades fundação. Talvez venha a ser útil rever esta questão, no sentido de reforçar a autonomia das universidade em geral".

Recorde-se que as universidades têm contestado a política do Governo, precisamente por considerarem que a autonomia tem sido limitada. Queiró lembrou porém que algumas das medidas foram impostas no memorando de entendimento assinado com a troika.

O governante considerou que as universidades têm "um grau notável de responsabilidade pública e social" , mas avisou que "internamente devem ser muito exigentes e ter pouca ou nenhuma tolerância para com interesses pessoais".

Confrontado com os protestos contra os cortes na acção social escolar que os estudantes de Coimbra prometem para domingo, no jogo da final da Taça de Portugal entre Académica e Sporting, João Queiró afirmou: "O regulamento de bolsas já prevê desde Setembro que, no caso de alteraçao da situação económica do agregado familiar, o estudante pode requerer reabertura do processo de bolsa. E noutras situações podem ser pedidos auxílios de emergência. Parece que algumas das reinvidicações não têm em conta que o regulamento já prevê isto".

Sobre a fusão entre a Universidade de Lisboa e a Universidade Técnica, o secretário de Estado afirmou "o diálogo com o governo correu muito bem e vamos continuar a dialogar": "As fusões são boas se contribuirem para a melhoria da qualidade do sistema".
No seminário foi debatido um ranking, anunciado em Novembro, que coloca Portugal no 7.º lugar entre 26 países europeus no que concerne à autonomia financeira e organizacional das universidades.

Diversos participantes, entre eles o reitor da Universidade Técnica, António Cruz Serra, sublinharam contudo que o estudo da Associação Europeia de Universidades é relativo ao ano de 2010 e que desde então a autonomia universitária em Portugal foi muito reduzida, devido às restrições orçamentais.

universidades joão queiró ensino superior autonomia
Ver comentários