Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Governo esconde escolas a intervencionar

O Ministério da Educação e Ciência (MEC) anunciou esta sexta-feira que vai retirar coberturas em fibrocimento com amianto de 50 escolas por todo o país, das quais 15 serão intervencionadas já nas férias da Páscoa, entre 18 de março e 1 de abril, e as restantes ao longo do verão.
1 de Março de 2013 às 15:05

O CM solicitou ao MEC, através do gabinete de comunicação, a listagem das 50 escolas a intervencionar ou, pelo menos, destas primeiras 15, mas a tutela recusou revelar os nomes das escolas, sem adiantar qualquer justificação.

A única exceção é a Escola Básica de 2.º e 3º ciclo de Azeitão que, tal como o CM noticiou dia 9 de fevereiro, ficou sem a cobertura de um dos blocos devido ao temporal de janeiro, e será agora a primeira a ser intervencionada, garantiu o MEC. Esta escola vive actualmente uma situação complicada, com os alunos a terem aulas na biblioteca e no refeitório. A comunidade educativa fez já um cordão humano de protesto em torno da escola no dia 14 de fevereiro.

O amianto é considerado uma substância perigosa para a saúde quando as partículas ficam expostas ao meio ambiente.

O Programa de Remoção do Fibrocimento das Escolas foi apresentado esta sexta-feira pelo secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar, João Casanova de Almeida, que revelou que o custo será de 6 milhões de euros, verba que virá do orçamento do MEC. A apresentação decorreu na Escola Básica Vieira da Silva, em Carnaxide (Oeiras), que será também uma das 50 a sofrer obras.

amianto escolas obras remoção fibrocimento cobertura plano remoção casanova de almeida educação
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)