Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Grande noite para o novilheiro José Garrido no Campo Pequeno

Poucos que lá estiveram e aplaudiram justificam louvores.
22 de Junho de 2014 às 13:41
Diogo Peseiro, bezerrista da escola de toureio do Campo Pequeno
Diogo Peseiro, bezerrista da escola de toureio do Campo Pequeno FOTO: Mariline Alves

Seriam necessárias algumas páginas de um espaço de que não disponho para explicar o vazio das bancadas numa noite de preciosos registos de bom toureio na arena do Campo Pequeno. Os poucos que lá estiveram e aplaudiram, de pé, as emoções vividas, justificam louvores à coragem da empresa montando um cartel rematado, à inspiração dos toureiros em praça e ao bom comportamento geral dos novilhos da divisa da Galeana correspondendo ao prestígio da ganadaria Murteira Grave.

O toureio a pé, como expressão artística, é algo especial. José Garrido, novilheiro “puntero” em Espanha, teve uma noite de enorme inspiração e a justificar essa posição, atingiu a excelência na lide de dois novilhos de boa nota mas diferentes na investida. Brilhou com o capote, no mais nobre e suave, por verónicas e chicuelinas ajustadas, e a faena, ligada, templada, e de muito empaque, levantou o publico das bancadas, rendido ao mando e beleza dos voos da sua poderosa muleta. O seu segundo entrou de cara alta e com investida mais incerta mas o toureiro estremenho meteu-o na muleta, enformou-lhe a investida, fez-lhe saltar a casta, e a faena saiu perfeita e redonda, aplaudida de pé e partilhada com o ganadero na volta à arena.

Diogo Peseiro, da escola do Campo Pequeno, enfrentou garbosamente o confronto, alternando em quites bandarilhou com classe e verdade os seus dois novilhos e a faena ao terceiro da noite, com boas series pela direita e naturais  bem rematados teve boa nota. O quinto exigia mais e Peseiro esteve à altura dessa exigência numa faena meritória.

No toureio a cavalo o praticante M. Vacas de Carvalho lidou o que abriu praça e foi de menos a mais mostrando estar bem a cavalo. E embora infeliz na ferragem comprida melhorou o seu labor numa boa serie de curtos. Luis Rouxinol Júnior está um senhor toureiro e voltou a dar nota de um grande futuro lidando com saber, alegria e excelentes pormenores no modo como entendeu o novilho que fechou a corrida usando de em adornos e sortes variadas, cravando ao estribo e rematando no pitón contrário saindo em pirueta. Noite redonda. Boa nota para os Amadores da Arruda em duas boas pegas numa corrida com ritmo dirigida por Manuel Gama, acolitado por Moreira da Silva.

Ver comentários