Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Greve a exame e às avaliações

Exames de Português de mais de 60 mil alunos em causa com greve de professores
17 de Maio de 2013 às 01:00

Os sindicatos de professores reeditaram ontem a plataforma formada há cinco anos e anunciaram as formas de luta mais radicais de sempre: greve geral a 17 de junho, dia em que mais de 60 mil alunos fazem exame de Português do 12 º; greve de 11 a 14 de junho ao serviço de avaliações dos alunos; manifestação nacional de professores, em Lisboa, a 15 de junho, um sábado.

A Fenprof, maior estrutura sindical, e outros nove sindicatos, aderiram a todas as formas de luta anunciadas. Já a Federação Nacional de Educação (FNE), segunda maior associação sindical de docentes, ligada à UGT, adere à manifestação, mas vai ainda decidir se faz o mesmo em relação às greves. Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, sublinhou que os professores estão dispostos a negociar, e exigem garantias de que os docentes dos quadros não passarão à mobilidade especial, nem serão despedidos, e que o horário de trabalho não subirá para as 40 horas. "É o combate mais duro de sempre, mas também a situação é a mais grave de sempre", justificou. n

educação ensino greve exames professores
Ver comentários