Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Greve no metro de Lisboa até às 10h30

Carris vai reforçar algumas das suas carreiras de autocarros coincidentes com os eixos servidos pelo metro.
16 de Janeiro de 2014 às 08:45
O Metropolitano de Lisboa revelou na terça-feira que o tribunal arbitral decretou serviços mínimos
O Metropolitano de Lisboa revelou na terça-feira que o tribunal arbitral decretou serviços mínimos FOTO: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa fazem esta quinta-feira uma nova greve parcial, entre as 05h00 e as 10h00 da manhã, tendo a empresa admitido que as estações só irão abrir às 10h30.

"Prevê-se a paralisação do serviço de transporte do metro entre as 06h30 (hora que abrem as estações) e as 10h00. Está previsto que a normalização do serviço ocorra a partir das 10h30", lê-se num comunicado publicado no site do Metropolitano de Lisboa.

Durante esse período, e à semelhança do que aconteceu em greves anteriores, a Carris vai reforçar algumas das suas carreiras de autocarros coincidentes com os eixos servidos pelo metro, nomeadamente a 726 (Sapadores-Pontinha Centro), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação Damaia).

Desde a semana passada que os trabalhadores do metro têm em curso uma jornada de luta que passa por uma greve parcial por semana, por tempo indeterminado. A primeira ocorreu a 9 de janeiro e está já outra agendada para dia 23.

Entre os motivos para estas paralisações está o decreto-lei 133/2012, que "pretende abrir as portas à concessão da empresa e, uma vez mais, reduzir trabalhadores, reduzir os seus direitos e reduzir a sua remuneração", afirmou a sindicalista Anabela Carvalheira em anteriores declarações à Lusa.

ADESÃO RONDA OS 100% (09h09)

As estações do Metropolitano de Lisboa estão, esta quinta-feira, encerradas devido a uma greve parcial dos trabalhadores da empresa cuja adesão ronda os 100%, disse à Lusa Paulo Machado, da Federação dos Sindicatos dos Transportes.

Em declarações à Lusa por volta das 07h40, Paulo Machado adiantou que, "apesar de ser relativamente cedo" e de alguns operacionais "entrarem só às 8:00", a adesão está "muito próxima dos 100%". "As estações estão fechadas e prevê-se que assim fiquem até às 10h30", frisou Paulo Machado da FECTRANS.

Fonte do Metropolitano de Lisboa contatada pela Lusa confirmou que não há comboios a circular, estando as estações encerradas.

"As estações estão todas encerradas. Está tudo normal para um dia de greve, prevendo-se que a circulação comece a ser retomada pelas 10h30", adiantou a mesma fonte.

paralisação greve metro de Lisboa Carris carreiras autocarros
Ver comentários