Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Gripe A: Criança em câmara ardente na Igreja dos Jerónimos

A criança de dez anos que morreu esta quarta-feira no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, vai estar em câmara ardente na Igreja dos Jerónimos, também na capital, a partir das 11h00 de amanhã, estando as exéquias fúnebres marcadas para as 11h00 de sábado e a cremação para as 16h00 do mesmo dia, no Cemitério dos Olivais.
29 de Outubro de 2009 às 17:35
Ministra não vê motivos para escolas fecharem portas
Ministra não vê motivos para escolas fecharem portas FOTO: Miguel A. Lopes/Lusa

A ministra da Saúde, Ana Jorge, disse esta quinta-feira que a autópsia à criança de dez anos, que morreu esta quarta-feira no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, detectou alterações do músculo cardíaco, de ordem congénita que normalmente não dá sintomas. Ou seja: prevalece um quadro de doença cardíaca crónica. 

“Esta criança foi atendida adequadamente pelos dois serviços por onde passou”, sublinhou Ana Jorge aos jornalistas, numa conferência de imprensa de esclarecimento que se realizou esta quinta-feira.

A ministra da Saúde sublinhou que se trata “de um caso de morte súbita” e que não existem motivos para alterar os planos de actuação em torno da doença: “A gripe A é uma situação que na grande maioria dos casos é benigna. Em algumas circunstâncias não é benigna, mas esses são poucos”, acrescentou.

CRIANÇAS DOENTES DEVEM FICAR EM CASA

Ana Jorge não vê razão para as escolas fecharem portas, mas lembrou que as recomendações que têm sido dadas devem ser seguidas e que as crianças que estão doentes não devem ser levadas à escola.

“Não há nenhuma razão para as escolas fecharem. O que é necessário é um alerta para a situação de que a gripe é para ser levada a sério: é um problema de saúde pública”, avançou.

A ministra defendeu a vacina da gripe A e disse que conta tomá-la na próxima semana.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)