Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Hospitais com falta de material clínico

Relatos de falta de material clínico básico nos hospitais, como luvas, compressas ou seringas, já chegaram ao Sindicato dos Enfermeiros, revelou a dirigente Guadalupe Simões, sublinhando a preocupação dos profissionais do sector.
7 de Agosto de 2011 às 00:30
Enfermeiros queixam-se da falta de material básico para tratar os doentes
Enfermeiros queixam-se da falta de material básico para tratar os doentes FOTO: Getty Images

 

A culpa, diz o presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares, Pedro Lopes, é do Estado "que não paga o que deve aos hospitais". O que gera um círculo vicioso, no sentido em que estes deixam de poder pagar aos fornecedores que, por sua vez, perdem crédito junto dos bancos.

Pedro Lopes sublinha que neste momento já há fornecedores a ameaçar cortar no fornecimento de material às unidades de saúde ou que exigem o dinheiro no momento da compra.

"Estamos a falar de pequenos fornecedores que estão em dificuldade", afirmou, acrescentando que "os hospitais não estão a pedir nenhum subsídio especial ao Ministério da Saúde", mas sim o pagamento do que lhes é devido.

"Estamos a falar de uma dívida que ronda os 1,5 mil milhões de euros ou os dois mil milhões", salientou o gestor, sublinhando que este é o valor que apenas diz respeito aos fornecedores dos hospitais.

As dificuldades de tesouraria que estas unidades de saúde enfrentam podem pôr em causa os salários dos trabalhadores.

No total, o Serviço Nacional de Saúde deve cerca de três mil milhões de euros a fornecedores.

Os gestores hospitalares tencionam solicitar uma reunião ao ministro da Saúde, Paulo Macedo, que ainda se está a inteirar dos problemas da pasta que tutela. Estão a ser feitos levantamentos de todas as dívidas para ser elaborado um plano de pagamento. Mas estes só devem começar a ser feitos em 2012.

MÉDICOS HOSPITAL BANCOS
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)