Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Hospital acusa doente de burla

Família recolhe 84 mil euros mesmo depois de hospital garantir pagamento do medicamento.
14 de Julho de 2013 às 01:14
Imagem que o 'Diário de Notícias da Madeira' usou para mobilizar leitores para a solidariedade
Imagem que o 'Diário de Notícias da Madeira' usou para mobilizar leitores para a solidariedade

Rubina Barros, uma jovem de 23 anos, tem um linfoma (tumor no sistema linfático). Foi-lhe diagnosticado há três meses, no hospital do Funchal. O desespero dos familiares em arranjar um medicamento - que poderia salvá-la e que custa 60 mil euros - levou-os a organizar um peditório. Em apenas 15 dias angariaram 84 mil euros. Agora, o hospital acusa-os de burla. Em comunicado, a unidade hospitalar da Madeira esclarece que informou a família de Rubina sobre o tratamento: "Seis ciclos de um medicamento cujo preço total é de cerca de 60 mil euros e que será assumido integralmente pelo SESARAM [Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira]". A família foi informada que o remédio seria importado dos EUA, uma vez que não está à venda em Portugal.

Na sexta-feira, o SESARAM recebeu o medicamento. Miguel Ferreira, presidente do conselho de administração do hospital, garantiu ao CM que Rubina Barros "iniciou o tratamento". A unidade hospitalar considera que o peditório "parece envolver um caso de burla", exigindo que o dinheiro angariado fosse "devolvido", já que não seria usado na compra do medicamento. A família promete entregar o dinheiro à Liga Portuguesa Contra o Cancro.

sociedade madeira estudante medicina linfoma
Ver comentários