Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Hospital de São João no Porto vai ter primeira unidade de queimados pediátricos do Norte

Grupo de trabalho independente para estabelecer critérios de seleção de empresas para a obra foi designado.
Lusa 29 de Abril de 2019 às 16:16
Hospital de São João, no Porto
Hospital São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto
Hospital São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto
Hospital São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto
O Centro Hospitalar Universitário São João, no Porto, recebeu esta segunda-feira o projeto de arquitetura da nova ala pediátrica e designou um grupo de trabalho independente para estabelecer critérios de seleção de empresas para a obra.

"O projeto de arquitetura da ala pediátrica do Centro Hospitalar Universitário São João foi entregue pela empresa Aripa Arquitectos, seguem-se as fases de revisão técnica e adjudicação da empreitada que vão tornar possível o início da obra até ao final de 2019", referiu a unidade hospitalar, em comunicado.

Na ala pediátrica será incluída a primeira unidade de queimados pediátricos do Norte, necessidade identificada "desde há muitos anos e nunca concretizada", adiantou.

O hospital explicou que o projeto será agora remetido para os ministérios da Saúde e das Finanças, assim como para a entidade que fará a sua revisão técnica, limitando eventuais erros ou omissões.

O trabalho de revisão já foi adjudicado a uma entidade que demorará 45 dias na sua execução, acrescentou.

Na nota, a unidade hospitalar esclareceu que por "razões de transparência e de defesa do superior interesse público" constituiu-se um grupo de trabalho que pudesse estabelecer os critérios para selecionar o conjunto de empresas habilitadas para uma empreitada com esta "complexidade técnica" para apresentarem propostas para a sua execução.

O grupo teve a primeira reunião e finalizará a seleção das entidades à data de conclusão do processo de revisão do projeto de arquitetura, evitando "qualquer atraso ou demora", disse.

"Com a coordenação deste grupo por um representante da Ordem dos Engenheiros pretende-se assegurar não apenas total transparência do processo, como o aumento do rigor nas decisões técnicas", frisou.

Em face da urgência da construção desta empreitada, a Lei do Orçamento de Estado para 2019 autorizou o Centro Hospitalar Universitário São João a recorrer ao procedimento de ajuste direto na contratação.

Segundo a unidade de saúde, esta abordagem não atrasará o processo e aumentará a "exigência e o rigor com que o Estado aborda este investimento".

A ala pediátrica assenta na construção de um edifício funcional adaptado aos cuidados multidisciplinares de elevada diferenciação prestados a crianças e adolescentes com doença complexa na região Norte.

"Aposta nos cuidados em ambulatório, particularmente na cirurgia de ambulatório, bem como na diferenciação de camas de cuidados intensivos e intermédios, sendo a única estrutura da região preparada para dar resposta a crianças politraumatizadas, às crianças com doença cardíaca com necessidade de tratamento invasivo ou de cirurgia cardíaca, com doença do foro neurocirúrgico, bem como, parte importante das crianças com doença oncológica", salientou o centro hospitalar.

O São João congratula-se por todo o processo de construção estar a decorrer sem atrasos em relação ao plano estabelecido.

A pediatria do Hospital de São João funciona há cerca de 10 anos em contentores.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)