Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Idosa medicada para a próstata

Há vários dias queixando-se de dores no tórax, Arminda Pais, residente em Fronteira, dirigiu-se ao Hospital de Portalegre. Depois de atendida, foi aviar a receita, mas deparou-se com um receituário no mínimo “caricato”. Foram-lhe receitados comprimidos para a próstata. “Como é que é possível?”, interroga-se a sexagenária, que após consultar outro clínico obteve o diagnóstico de infecção pulmonar.

10 de Junho de 2009 às 00:30
Arminda Pais não quis acreditar
Arminda Pais não quis acreditar FOTO: Manuel Isaac

A improvável receita remonta à madrugada de 30 de Maio. Arminda tece ainda críticas à forma como foi atendida. “O médico não me prestou atenção e não pediu exames. Apenas me auscultou o peito e deu uma injecção”, acrescenta.

O medicamento em causa, o Benestan, que tem como princípio activo a alfuzosina, é, segundo o prontuário farmacêutico do Ministério da Saúde, usado para a hipertrofia prostática benigna.

A finalidade do medicamento foi detectada por um dos filhos de Arminda, que ao visitá-la reconheceu a caixa dos comprimidos. “São iguais aos que o meu marido tomou quando foi operado à próstata”, referiu a paciente. “Não sabia que as mulheres agora também têm próstata”, ironiza, incrédula com a situação.

O CM entrou em contacto com a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), que disse não ter qualquer comentário a fazer, visto que o caso não foi exposto pela utente, nem no Livro de Reclamações, nem directamente à direcção. “Não temos conhecimento oficial do caso. Até que seja do conhecimento público, ou apresentada uma reclamação, não podemos encetar nenhuma diligência”, esclareceu Ilídio Pinto Cardoso, porta-voz da ULSNA.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)