Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Idoso acusa Amadora-Sintra de trocar medicamento

Marido responsabiliza unidade por mulher ter estado seis dias sem tratar epilepsia.
Teresa Oliveira 30 de Outubro de 2016 às 09:31
Marido responsabiliza unidade por mulher ter estado seis dias sem tratar epilepsia.
José António Valente, 81 anos, acusa o Hospital Dr. Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) de negligência. Diz que a mulher foi vítima de um colapso devido à troca de medicamentos e por ter estado seis dias sem tratamento para a epilepsia. Maria de Jesus Valente, de 75 anos, está acamada em casa e mal se consegue mexer.

"Ela está irreconhecível. Mal fala e nem uma chávena consegue levar à boca", explica ao CM José António Valente, justificando a acusação de negligência: "Houve dois erros. O primeiro foi a medicina interna ter trocado os medicamentos, o outro foi estar seis dias sem medicação para a epilepsia".

O caso remonta a 29 de agosto, quando Maria foi a uma consulta no Amadora-Sintra, onde era seguida, durante a qual lhe trocaram a medicação. A 5 de setembro, a utente recorre às urgências, com "os níveis de sódio baixos", mas sai no mesmo dia.

"Dizem-lhe que não tem nada. No dia seguinte, às 5 horas da madrugada, volta à urgência e é internada. Sai dia 19 de setembro e dizem para fazer fisioterapia fora do hospital", recorda o marido. Com base no relatório médico, José António Valente não tem dúvidas: "Ela só é internada devido à troca de medicamentos e intoxicação por diuréticos. Eu chamei a atenção da médica, por ela não estar a ser medicada para a epilepsia".

O CM questionou o hospital, mas não obteve resposta.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)