Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Injeções de oxigénio reduzem tumores e são nova esperança contra o cancro

Estudo revolucionário conclui que tratamentos de oxigenação previnem também metástases
Correio da Manhã 10 de Setembro de 2020 às 18:06
Mulher com cancro
Cancro
Mulher com cancro
Cancro
Mulher com cancro
Cancro

É uma descoberta avassaladora na investigação oncológica: o cancro pode ser travado com injeções de oxigénio. Esta é a conclusão de um estudo feito por cientistas da Universidade de Basileia, na Suíça.

Os investigadores descobriram que o gatilho que faz a doença alastrar, os tumores crescer e  as metáteses surgir é a falta deste gás nas células quando há menos oxigénio, a doença avança. Experiências em ratos com cancro da mama mostraram que os exemplares viviam muito mais tempo com maior fornecimento de oxigénio.

A descoberta traz uma nova visão ao fenómeno das metástases, em que células cancerígenas se libertam do local original do tumor e migram para outro lado do corpo. Este processo reduz drasticamente as hipóteses de sobrevivência dos doentes e há muito que os cientistas procuravam solução.

Esta poderá ser a que procuravam, já que a falta de oxigénio foi identificada como o fator que causa as metástases da doença.

Outras hipóteses são a promoção da formação de novos vasos sanguíneos, que aumentariam o fornecimento de sangue ao corpo e, em particular, às áreas afetadas pelo cancro. Esta técnica, chamada terapia proangiogénica teve bons resultados em roedores.

A equipa, liderada pela investigadora Nicola Aceto explicou que "é como se muitas pessoas estiverem num espaço fechadas. Algumas vão querer sair à procura de ar fresco."

"Quando um tumor não tem oxigénio suficiente, estes aglomerados de células CTC , que têm alto potencial de desenvolver metástases, vão separar-se", clarifica.

Verificou-se também que ratos injetados pela cauda com uma proteína que promove o crescimento de vasos sanguíneos não desenvolviam tumores secundários, isto porque o número de clusters de células CTC caiu a pique.

Os investigadores alertam que, no entanto, esta solução pode causar que o tumor principal aumente de tamanho. Apesar deste potencial efeito secundário, as descobertas revelam-se essenciais no combate a cancros como o da mama. "Especulamos que as substâncias que aumentam o fornecimento de oxigénio aos tumores podem evitar a formação de metástases do cancro da mama, por si só ou em combinação com outros agentes", termina a investigadora.

CTC Universidade de Basileia Suíça saúde doenças cancro
Ver comentários