Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Jornalistas obrigados a trabalhar em paragem de autocarro durante fase de instrução do processo de Tancos

Sindicato denunciou falta de condições de trabalho para os profissionais.
Débora Carvalho 14 de Janeiro de 2020 às 19:12
Fachada do edifício do Tribunal Criminal de Lisboa em Monsanto
Fachada do edifício do Tribunal Criminal de Lisboa em Monsanto FOTO: Pedro Simões
O Sindicato dos Jornalistas enviou esta terça-feira uma carta ao Ministério da Justiça e à presidente da Comarca de Lisboa a queixar-se da falta de condições de trabalho dos repórteres que acompanham a instrução do Processo de Tancos, transferido para o Tribunal de Monsanto.

Na carta, o sindicato fala em "péssimas condições de trabalho", relacionadas com a inexistência de uma sala destinada ao trabalho dos repórteres e até da falta de acesso a uma casa de banho.

O sindicato avisa que os jornalistas estão a ser obrigados a trabalhar numa paragem de autocarro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)