Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

'Jovem de 74' apela a mais "ambição na democracia" no 25 de Abril

Marcelo quer “respostas inequívocas para as perguntas urgentes” dos jovens de 2019.
Beatriz Ferreira e Pedro Ramos Bichardo 26 de Abril de 2019 às 08:42
A carregar o vídeo ...
Marcelo quer “respostas inequívocas para as perguntas urgentes” dos jovens de 2019.
Marcelo Rebelo de Sousa chegou à Assembleia da República de cravo na mão. Naquele que foi já o quarto discurso enquanto Chefe de Estado numa sessão solene do 25 de Abril, o "jovem de 1974" falou por, e para, os "jovens de 2019". E foi em nome deles que pediu "ambição na democracia", acompanhada de "sensatez financeira".

Em ano de eleições, o Presidente da República escusou-se a deixar grandes recados sobre as questões políticas que mais divergências têm causado entre os partidos (como a Lei de Bases da Saúde) e optou por colocar os jovens no centro do discurso.

A pensar neles, apelou a soluções rápidas: "Os jovens querem respostas inequívocas para perguntas urgentes. Quando e como quer Portugal voltar a ser uma sociedade a rejuvenescer? Quando e como esbatemos as desigualdades que ainda persistem?", enumerou.

Marcelo recusa que a classe política conte com os jovens "para passadas ou futuras sobrancerias, orgânicas obsoletas ou inviáveis, clientelismos".

É, por isso, necessária mais "ambição na democracia", que só pode ser atingida "com a economia a crescer, dependência pelo endividamento a diminuir, sensatez financeira a salvaguardar, acrescida justiça a repartir". Este "parece um programa impossível?", interroga Marcelo. "Talvez, mas a História faz-se sempre de programas, ideais, de sonhos impossíveis."

PORMENORES
Costa reage a discurso
O primeiro-ministro defendeu que o discurso do 25 de Abril do Presidente da República, no Parlamento, foi caracterizado por "uma extraordinária coincidência" sobre temáticas que o Governo também definiu como prioritárias em termos de ação.

Sentados após discurso
Os deputados do PCP, Bloco de Esquerda e Partido Ecologista Os Verdes (PEV) optaram por ficar sentados, sem aplaudir, após o discurso do Presidente da República. Já os do PSD, PS e CDS-PP aplaudiram de pé.

Cavaco Silva ausente
Aníbal Cavaco Silva foi o único antigo presidente da República vivo a não comparecer na sessão solene de comemorações do 25 de Abril. Tanto Ramalho Eanes como Jorge Sampaio marcaram presença.

Militar assistido
A chegada dos vários convidados à Assembleia da República ficou marcada pelo desmaio de um militar, que teve de ser assistido por colegas no local. Foi depois transportado para o hospital.

FRASES DO DIA
- "Que [os líderes políticos] sejam capazes de um debate franco e leal, com alternativas claras" - Eduardo Ferro Rodrigues
"Evocar o 25 de abril não é necessariamente depreciar a direita política ou exaltar a esquerda" - Carlos César
- "Os partidos têm de encarar seriamente a reforma do regime democrático" - Rui Rio
- "É sempre uma sessão importante na afirmação da democracia, da memória" - Catarina Martins
- "A concretização dos objetivos dos jovens passa muito por soluções concretas" - Jerónimo de Sousa
- "A promiscuidade com o poder é incompatível com a dignidade democrática" - Filipe Anacoreta Correia
Ver comentários