Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Mais de 99% de mortes por Covid-19 ocorreram sem a vacinação completa

Conclusões são do recente estudo ‘Situação Epidemiológica do País’, da autoria do professor André Peralta dos Santos.
João Saramago 3 de Agosto de 2021 às 01:30
Vacinação com duas doses reduz em três a seis vezes de risco de morte por Covid-19
Vacinação com duas doses reduz em três a seis vezes de risco de morte por Covid-19 FOTO: Vítor Chi
Morreram 17 107 pessoas sem vacinação completa desde o início da pandemia e até 11 de julho, ou seja, 99,7%, revela o recente estudo ‘Situação Epidemiológica do País’, da autoria do professor André Peralta dos Santos. Dos mais de 4,3 milhões de pessoas que até ao dia 11 de julho tinham recebido a vacinação completa, apenas 57 morreram com a doença. O total de mortes foi 17 164 .

Por faixas etárias, a esmagadora maioria das pessoas que morreu com a vacinação completa tinha mais de 80 anos, num total de 47. Oito das vítimas mortais integravam a faixa etária dos 65 aos 79 anos e duas tinham idades compreendidas entre os 50 e os 64 anos. A vacina revelou-se no entanto impotente para travar o vírus em 0,001% das pessoas vacinadas.

A vacinação por duas doses reduz em três a seis vezes o risco de morte por Covid-19, proteção que será reforçada com a aplicação de uma terceira dose. Para concretização desse objetivo, arrancou no domingo em Israel a inoculação da terceira dose da vacina à população com mais de 60 anos. Os especialistas decidiram que esta é a via para reduzir os riscos das novas variantes. O objetivo é aumentar os anticorpos que protegem da Covid-19.

A Alemanha pondera administrar uma dose de reforço da vacina contra a Covid-19 aos idosos e pessoas imunodeprimidas a partir de setembro. Entretanto, a Pfizer divulgou que uma terceira dose aumenta "fortemente" a proteção contra a variante Delta.

Por agora, não há uma decisão em Portugal para a terceira dose.
Ver comentários