Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Mais jovens, com hipertensão e diabetes, e um terço vacinado com uma dose: o perfil dos internados com Covid-19 nas UCI em Lisboa

Região de Lisboa e Vale do Tejo concentra 70% dos doentes infetados com coronavírus em estado crítico hospitalizados em todo o País.
Correio da Manhã 23 de Junho de 2021 às 11:26
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Lusa

A região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) continua a registar o maior número de novos casos de infeção com a Covid-19. Numa altura em que os doentes internados devido à doença já voltaram a chegar aos três dígitos, perto de 70% dos doentes com covid-19 em estado crítico em todo o país estão internados em hospitais da região de Lisboa. Ainda, segundo alertou o presidente da Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva, João Gouveia, ao Público, um terço dos doentes em UCI em LVT já estava vacinado, mas apenas com uma dose.

A virologista Maria João Amorim lembra que, segundo um estudo francês, "apenas se tem uma protecção robusta, a nível de infecção, duas a três semanas após a segunda dose das vacinas", o que poderá explicar estes casos.

João Gouveia traça ainda um perfil dos doentes internados nas UCI em Lisboa: são mais novos – metade tem menos de 55 anos - , sofrem de problemas de hipertensão e diabetes ou obesidade. O médico acrescenta que também há pessoas sem doenças associadas internadas nestas unidades e até jovens com 25 anos.

Ainda que, a nível nacional, com os 101 internados em UCI esta terça-feira, se esteja longe do limite de 245 camas, João Gouveia alerta que os hospitais de Lisboa e Vale do Tejo estão já sobre pressão e sublinha que a taxa de ocupação de Intensivos na região está nos 77 a 78% e próximo da ‘linha vermelha’ estabelecida.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários