Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Navegue neste mapa e veja a distância de casos de Covid-19 para atingir a 'linha de risco' em cada concelho

Veja quantos casos foram registados em cada município entre 28 de outubro e 10 de novembro.
Jornal de Negócios 16 de Novembro de 2020 às 19:55
A Direção-Geral de Saúde (DGS) divulgou esta segunda-feira os dados de casos de infeção pelo coronavírus discriminados por concelho. Contudo, ao contrário do que fazia anteriormente, deixou de publicar o número total de contágios por município, apresentando, antes, o número de novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias, o critério utilizado pelo Governo para definir quais os concelhos de risco elevado e onde são aplicadas medidas mais restritivas, como o recolher obrigatório.

Tendo em conta que o Governo elaborou a lista de 191 municípios de alto risco, anunciada na passada quinta-feira, com base nos dados até 10 de novembro, a DGS divulga os dados referentes aos 14 dias até essa data.

O Negócios calculou o número de novos casos registados em cada município com base no valor por 100 mil habitantes divulgado pela DGS e na estimativa de população por concelho do Instituto Nacional de Estatística (INE). 



Por exemplo, em Faro, a DGS reporta 349 casos por 100 mil habitantes nestes 14 dias, tendo em conta a população do município algarvio, que é de 61.015 habitantes de acordo com o INE, isto significa que entre 28 de outubro e 10 de novembro foram identificados 213 novos contágios.

Seis concelhos registaram mais de dois mil novos casos em duas semanas

Pelos cálculos do Negócios, seis municípios somaram mais de duas mil novas infeções no período em análise. Lisboa, o concelho mais populoso do país, registou 2.935 novos casos. Trata-se de uma aceleração face ao observado nas duas semanas terminadas a 25 de outubro, os últimos dados que a DGS havia fornecido. Então, o município da capital tinha somado 1.742 casos.

Logo atrás da capital surge Guimarães, com 2.873 contágios nestes 14 dias. Um valor que leva a cidade-berço a mais do que duplicar o número de casos que acumulava a 25 de outubro, que se cifrava em 2.168. Assim, Guimarães supera os cinco mil casos desde o início da pandemia.

Ainda acima dos dois mil casos nas duas semanas em análise encontram-se Vila Nova de Gaia (2.638), Porto (2.489), Paços de Ferreira (2.098) e Matosinhos (2.052). 

Há ainda mais 12 concelhos com mais de mil novas infeções neste período, sendo que são todos do Norte, com exceção de Sintra, Cascais e Loures.

Confinamento ineficaz no Tâmega e Sousa

Note-se que Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras foram alvo de restrições mais apertadas, as que viriam a vigorar para os concelhos de risco, mais cedo, a 23 de outubro.

No entanto, estes três municípios do Tâmega e Sousa continuam a ver o ritmo de propagação da pandemia crescer. Em Paços de Ferreira os 2.098 contágios comparam com os 1.107 observados nas duas semanas terminadas a 25 de outubro. Em Lousada, os números subiram de 593 para 1.572, já em Felgueiras, passou-se de 344 para 970 novos contágios.

E, pelo menos Paços de Ferreira e Lousada, deverão ser alvo de medidas mais restritivas que estarão a ser preparadas pelo Ministério da Saúde. Na passada quinta-feira, António Costa indicou que haveria um "escalonamento das medidas" dentro do lote de 191 municípios de risco, sublinhando ser bem diferente ter 3.698 casos por 100 mil habitantes - aludindo a Paços de Ferreira - e 242 casos por 100 mil habitantes.

Oito concelhos a quem "saiu a fava"
Do rol de municípios classificados de risco elevado, e além dos três concelhos que não atingem o limiar dos 240 casos por 100 mil habitantes mas foram incluídos por fazerem fronteira com municípios de risco - Alcochete, Cadaval e Montijo - Rio Maior é o que teve pior sorte.

O concelho registou exatamente 240 casos por 100 mil habitantes no período considerado, o que significa que bastaria ter tido 48 em vez de 49 novos contágios para não ser submetido às medidas mais restritivas.

Igualmente perto do limiar ficaram Sátão e Anadia (242 casos por 100 mil), Fornos de Algodres e Aljustrel (ambos com 243), Lagos (244), Tavira (245) e Ansião (249), sendo que neste último, bastaria menos dois contágios para escapar à "lista vermelha".

E os que escaparam por uma "unha negra"
Ao invés, o concelho da Lousã evitou ser considerado de alto risco por apenas um caso. Os 41 contágios registados representam 239 casos por 100 mil habitantes, sendo que com mais um caso teria superado o limar definido.

Em Leiria, um município de grande dimensão (125.267 residentes), foram sete os casos que separaram o concelho de entrar para a "lista vermelha".

Ainda a curta distância ficaram os concelhos de Cadaval (234), que foi incluído por fazer fronteira com três municípios de risco, Marinha Grande (229), Mortágua, Pombal e Torres Vedras (todos com 227) e Moimenta da Beira e Nazaré (ambos com 226).

Em baixo pode ver o mapa com os 191 concelhos de risco.
Ver comentários