Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Matemáticos arrasam prova

"Pobre" é o como o presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, Miguel Abreu, avalia o teste da disciplina ontem realizado por cerca de cem mil alunos do 2º ano do primeiro ciclo do Ensino Básico. "A utilização de algoritmos ou a leitura de números é pouco ou nada avaliada", refere o dirigente, salientando a falta de "conteúdo matemático" do exame.
9 de Junho de 2011 às 00:30
Alunos dos 7.º e 8.º anos da Escola Victor Palla fizeram ontem a prova, com a duração de 90 minutos
Alunos dos 7.º e 8.º anos da Escola Victor Palla fizeram ontem a prova, com a duração de 90 minutos FOTO: Mariline Alves

"Pedem-se também contagens de números demasiado baixos (até 25), quando os alunos poderiam ir, neste nível de escolaridade, até mil", refere em comunicado a Sociedade, concluindo os matemáticos: "Esperamos que esta prova não venha a servir de modelo para o próximo ano".

Outra crítica avançada respeita aos critérios de correcção que ocultam a cotação das perguntas. A Sociedade entende "que é possível obter 50 pontos respondendo de forma errada a todas as questões" – a resposta está errada mas é pontuada a proximidade à resposta certa.

Na Escola Victor Palla, em Lisboa, a maioria dos alunos considerou a prova fácil. Para Joana Martins, de 8 anos, o "teste correu bem. As perguntas eram fáceis e não tive dificuldade em responder", referiu. Menos confiante,

Bernardo Santos e Gonçalo Sabino confessaram ambos terem gostado das contas de multiplicar. O teste contou com a participação de 793 escolas e durou 90 minutos.

EXAMES MATEMÁTICA EDUCAÇÃO
Ver comentários